Voldemort: A Origem do Herdeiro (2018) | Crítica




A nobreza da boa vontade arrefece os defeitos?

Fãs: o que seria das franquias sem eles? Que sustentam esses empreendimentos milionários que tem a intenção de contar histórias - ou pelo menos deveriam ter - para nos encantar, viajar e sentir a magia inexistente desse mundo. O amor dos fãs transpõem muitas vezes o papel de espectador e passam a produzir seu próprio conteúdo daquele universo que tanto amam numa nobre tentativa de acalentar a saudade que os finais geram - ou frustrações em algum casos - em nós.

A comoção gerada - e até exagerada - pelo cancelamento da série da Netflix Sense8 que culminou no seu revival para um desfecho, como também a última temporada exibida de Game Of Thrones que mais pareceu uma colcha de retalhos de teorias já discutidas na internet (sim, há mágoas ao escrever isso), é a prova cabal de que hoje não somos apenas espectadores passivos das obras que consumimos.

A Origem do Herdeiro é fruto dessa nova onda colaborativa entre fãs e autores/produtoras, primeiramente como uma ideia de financiamento coletivo e posteriormente com o aval da Warner para produção independente sem fins lucrativo. O filme aborda o passado do aclamado vilão da saga Harry Potter, desenvolvendo mais sua origem e sedimentando melhor suas motivações e personalidade quando era mais jovem. O filme acerta em sua produção e em evocar a magia do mundo de Harry Potter, nos aspectos visuais e em seus efeitos, que por sinal são um grande destaque da obra, há cenas de ação envolvendo magia, perseguição, combate corpo-a-corpo e movimentos em alta velocidade que na franquia original não foi visto, ponto pra obra ao mostrar as possibilidades que podemos ver com as batalhas de varinhas nesse universo.

Porém o filme peca na sua linearidade narrativa, trabalhando exaustivamente o recurso do flashback pra sustentar sua história, que culmina num desfecho previsível para os fãs da saga e a tentativa de plot twist no final falha em causar surpresa. Alguns aspectos técnicos, como a dublagem dos atores, que são italianos em sua maioria, para o inglês, tira um pouco da imersão e da análise da capacidade de atuação dos atores, nos deixando em dúvida a respeito do talento deles, é compreensível a tentativa de universalizar a obra com o idioma em inglês - aliás a obra já bateu o recorde de filme mais assistido no Youtube -, mas isso deixa o filme menos profissional e com aspecto de amador como as novelas mexicanas dublada em emissoras nacionais.




Apesar disso, é um ótimo filme se você for capaz de perdoar esses aspectos técnicos, levando em conta que foi um filme produzido por fãs para fãs, apenas com o amor que eles tem pelo universo Harry Potter e toda a riqueza que ele possui. Sempre é interessante saber mais sobre aqueles personagens e principalmente sobre o vilão que é tão detestável, mas tão complexo que chega a ser sedutor. O filme abre portas para diversas possibilidades de expansão do universo Harry Potter nos cinemas e só por isso já é nobre demais a sua existência.
“Aqueles que nos amam nunca nos deixam de verdade…”
-Sirius Black
Classificação: 

Mister O - Lauren Blakely


Editora: Faro Editorial
Páginas: 272
Classificação: 


Sinopse: Nick Hammer tem a vida que todo cara sempre sonhou: dinheiro e mulheres lindas aos seus pés, que não esperam nada em troca além do melhor sexo de suas vidas. E tudo isso graças ao seu personagem, Mister Orgasmo, que saiu das páginas dos gibis para ganhar um programa na televisão. Agora Nick se tornou o mentor sexual de homens ao redor do mundo e o objeto de desejo de todas as mulheres. Para para Nick, e seu alter ego Mister O, a receita é simples: dar prazer, sempre!  Mas tudo isso pode estar em risco quando um pedido acontece. Harper, A irmã de seu melhor amigo, Spencer Holiday, também quer aprender as valiosas lições de Nick e Mister O. Harper é divertida, inteligente, linda e irresistivelmente sexy. E lutar contra o desejo de ter ela em sua cama será o pior pesadelo de Nick. Mister O vai conseguir “salvar” essa mocinha e ainda não ferrar a relação com o seu melhor amigo? Um romance divertido, leve, sexy e que vai arrancar suspiros dos leitores. Afinal, não dizem que o amor e a amizade andam lado a lado? Talvez eles até possam dormir na mesma cama.

Alma - Audrey Carlan - Trinity #03



Editora: Verus
Páginas: 224
Classificação: 


Sinopse: No terceiro livro da série Trinity, essa história de suspense e erotismo continua, agora mostrando os acontecimentos pelos olhos de Chase, Gillian e do homem que quer possuir a alma dela, mas nunca poderá tê-la, porque ela já a entregou ao amor da sua vida. Gillian sabe que Chase está procurando por ela desesperadamente e que a polícia vai fazer o que for preciso para salvá-la. Mas será que eles vão conseguir vencer a corrida contra o tempo?





Cretino Abusado - Penelope Ward e Vi Keeland - Cocky Bastard #01


Editora: Essência
Páginas: 272
Classificação: 

Sinopse: Após ser traída pelo ex-namorado – chefe da firma de advocacia em que trabalhava – Aubrey decide que precisa de um recomeço. Deixa tudo para trás e aceita um emprego em uma startup na Califórnia, Estados Unidos, e parte em uma viagem de carro que mudará toda a sua vida.Em uma parada na estrada, Aubrey conhece Chance, um homem atraente que viajava de moto. Com o corpo perfeito e sotaque australiano, o ex-jogador de futebol era bem convencido e arrogante. Quando sua moto quebra, Chance precisa da ajuda de Aubrey. Ele promete levá-la em segurança até seu destino em troca de uma carona, e os dois decidem seguir viagem juntos.Aubrey está traumatizada após seu último relacionamento, mas sente uma atração incontrolável por aquele cretino abusado. Apesar da ligação cada vez mais forte entre os dois, Chance guarda um segredo que poderá separá-los para sempre.

Uma Dobra no Tempo- Madeleine L'Engle- Uma Dobra no Tempo #01


Editora: Harper Collins
Páginas: 240
Classificação: 

Sinopse: Era uma noite escura e tempestuosa; a jovem Meg Murry e seu irmão mais novo, Charles Wallace, descem para fazer um lanche tardio quando recebem a visita de uma figura muito peculiar.“Noites loucas são a minha glória”, diz a estranha misteriosa. “Foi só uma lufada que me pegou de jeito e me tirou da rota. Descansarei um pouco e seguirei meu rumo. Por falar em rumos, meu doce, saiba que o tesserato existe, sim.”O que seria um tesserato? O pai de Meg bem andava experimentando com a quinta dimensão quando desapareceu misteriosamente... Agora, com a ajuda de três criaturas muito peculiares, chegou o momento de Meg, seu amigo Calvin e Charles Wallace partirem em uma jornada para resgatá-lo. Uma jornada perigosa pelo tempo e o espaço. Uma dobra no tempo é uma aventura clássica, que serviu de inspiração para os mestres da fantasia e da ficção científica do mundo, agora adaptada para os cinemas pela Disney. Junte-se à família Murray nesta jornada, entre criaturas fantásticas e novos mundos jamais imaginados.