Estrelas Além do Tempo | Crítica





Estrelas Além do Tempo é um filme sobre a força da mulher, não apenas da mulher branca e privilegiada, mas da mulher negra que enfrentou não apenas o racismo, mas o machismo que ainda hoje permeia a sociedade.

Na década de 1960 ainda havia segregação entre brancos e negros no estado da Virgínia, pessoas negras não estudavam em escolas de brancos, não tinham a mesma sessão na biblioteca, não usavam nem mesmo o mesmo banheiro. Nas instalações da maior agência espacial dos Estados Unidos, a NASA, as coisas não era muito diferentes. Ser negro naquela época não era fácil, tente ser negro e mulher. 

E é exatamente isso que Katherine G. Johnson, Dorothy Vaughan e Mary Jackson enfrentam. Num país que participa de uma guerra sem armas, que ficou conhecida como Guerra Fria, a corrida espacial era algo que mantinha todas as agências governamentais andando na ponta dos pés. União Soviética e Estados Unidos não perdiam tempo e tentavam se superar a cada momento.

Durante a década de 60 não existiam computadores e era utilizados métodos rudimentares e a mão para calcular todas as trajetórias e métodos para construções dentro da NASA, para isso existiam os chamados "computadores", geralmente mulheres que atuavam como verdadeiras máquinas de calcular, obviamente existiam as mulheres brancas e as negras, essas sendo colocadas em prédios bem distantes. 

Katherine G. Johnson foi a primeira computador negra a trabalhar junto ao alto escalão dentro da NASA e se tornou uma peça chave dentro da corrida espacial. Dorothy Vaughan, foi a primeira mulher a dirigir as primeiras máquinas que faziam os cálculos e Mary Joackson a primeira engenheira negra dentro a Agência Espacial, são nomes que você nunca deve ter ouvido falar, mas que foram marcos importantíssimos na luta de direitos das minorias.


Taraji P. Henson, Octavia Spencer e Janelle Monáe que interpretam respectivamente Katheryne, Dorothy e Mary, estão simplesmente espetaculares no filme, elas fizeram toda a diferença dando voz e vida a essas três mulheres notáveis mas desconhecidas pelo público até aqui.Kevin Costner, Kirsten Dunst e Jim Parson, nosso eterno Sheldon, são nomes que você vai reconhecer e que dão vida a alguns outros personagens que talvez você vá odiar nessa trama.

Estrelas Além do Tempo traz uma narrativa tocante, com cenas e diálogos que nos deixam com um nó na garganta que é difícil de engolir e por vezes com aquela sensação de queimação atrás dos olhos pouco antes de algumas lágrimas se formarem. A trilha sonora assinada por Pharrel Williams, não traz Happy, mas dá um ar de alegria e superação a trama que fazem toda a diferença, além de ser bem a cara das protagonistas.

Com certeza, esse é um dos filmes que não dá para esquecer, daqueles que aquece o coração e nos faz pensar se evoluímos tanto assim quanto imaginamos.

0 comentários:

Deixe seu comentário