O Ar Que Ele Respira - Brittainy C. Cherry - Elementos #1


Editora: Record
Páginas: 308

Como superar a dor de uma perda irreparável? Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. Porém, ao retornar à pequena Meadows Creek, ela se depara com um novo vizinho, Tristan Cole. Grosseiro, solitário, o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth logo descobre que, por trás do ser intratável, há um homem devastado pela morte das pessoas que mais amava. Elizabeth tenta se aproximar dele, mas Tristan tenta de todas as formas impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado parece não haver espaço para um novo começo. Ou talvez sim.

O Ar Que Ele Respira é o primeiro volume da série Elementos escrita pela Brittainy C. Cherry, essa é a minha segunda experiência com a autora e posso afirmar que tem que ter psicológico forte para ler as narrativas dela.

Elizabeth está tentando seguir em frente após o acidente trágico que matou seu marido. Após um ano longe, ela retorna a cidade e a casa que morava com ele. Steven era a vida de Elizabeth e sua filhinha Emma e elas estão meio perdidas sem ele. A mulher tenta dia a dia não se afogar por causa da filha. Ao retornar ela esbarra sem querer com Tristan, seu novo e nada amigável vizinho. Tristan é grosseiro, rabugento e considerado o louco da pequena cidade. Porém o rapaz esconde um passado trágico que pode aproximá-lo de Elizabeth.

"Às vezes a pior parte de existir sem a pessoa que amamos é ter que se lembrar de respirar."

Quando peguei esse livro já tinha ouvido muitos comentários de como ele era "fofo" e contrariando a todas as amigas que leram eu não achei fofo, na verdade achei um livro bem pesado emocionalmente falando e que para quem tem filhos ou perdeu alguém próximo recentemente é muito mais difícil de ler. Como falei lá em cima eu já estava preparada para a carga emocional e até tentei emendar ele com o segundo da série, mas foi muito para meu emocional. 

Eu não consigo ler um livro da Brittainy e não me envolver emocionalmente com a história, muito pelo contrário eu sinto tudo que os personagens sentem e isso as vezes me deixa mal por dias a fio. Dessa vez talvez por já estar preparada eu consegui dosar isso, mas mesmo assim fiquei mal.

"Você não precisa estar bem o tempo todo. É normal sentir a dor de vez em quando. É normal se sentir perdida, como se estivesse andando no escuro. São os dias ruins que tornam os bons ainda melhores."

Tristan é sim grosseiro, ele está completamente perdido, ele perdeu a mulher que amava e o filho de apenas 8 anos em um mesmo acidente e ele não sabe como lidar com isso. Ele vive isolado, apenas com o cachorro da família, Zeus. Quando ele conhece Elizabeth, ele sente algo por ela que não sentia desde que Jamie morreu e se sente culpado de certa forma por isso.

Elizabeth por sua vez está tentando ficar bem pela filha, ela perdeu o marido, mas Emma ainda precisa dela, então a moça faz de tudo para conseguir superar seu sofrimento. Quando ela esbarra em Tristan, sente que encontrou uma alma tão ferida como a dela que pode compreender o motivo dela não conseguir seguir, o motivo pelo qual ela não consegue deixar Steven ir.

Eles iniciam um relacionamento físico para se lembrarem de seus entes queridos mortos, usando um o corpo do outro para lembrar e fingir que são Steven e Jamie que estão tocando, até que um deles quebra e essa relação se torna mais do que física, se torna uma amizade que ganha novas formas. O companheirismo que eles constroem é algo muito bem trabalhado pela autora e essa passagem do físico para o emocional é bem bonita.

Claro que há uma trama inesperada que muda tudo e que nos deixa andando sobre ovos durante algumas páginas e que faz o leitor pensar que vai dar tudo errado e é aí que de certa forma a autora surpreende, pois ninguém esperava o que aconteceu.

Essa capa é maravilhosa, eu amei esse modelo e o fato de ser preto e branco. A diagramação me incomodou um pouco por conta do tamanho da fonte, mas é questão de gosto mesmo. Enfim, uma série bastante emocional que eu recomendo muito.




7 comentários:

  1. Não vi muita gente falando que esse livro era fofo ou qualquer coisa assim. Vi mais é o pessoal falando que é pesado e muito triste, que o homem é quebrado, que a mulher também sofre e etc. É um livro muito cheio de sentimentos e com dois personagens que no fim das contas são a salvação um do outro ou algo assim. Achei isso interessante e foi o que me deu vontade de ler. Mas nossa, parece que o final vai ficando meio tenso se a gente espera que dê tudo errado. Mas uma coisa eu sei: essa autora é mesmo capaz de surpreender e confio que ela tenha feito algo muito bom com essa história.
    Gostaria de ler. Estou com ele aqui e vou ver se pego esse mês. Vale a pena pelo visto =)

    ResponderExcluir
  2. Socorro!
    Esse livro desde o ano passado é um dos top bem falados, já tive amigas praticamente me intimando a ler. De inicio fiquei meio de lado, porque achei meio clichê a sinopse e a situação porque tem uns 500 livros que falam de mocinha que perdeu alguém que encontra mocinho quebrado e tals... Só que o que diferencia cada história é a forma como a autora leva a história. E pelos comentários que ouvi sobre, ela é aquele tipo de autora que imbui o livro com todos os sentimentos dos personagens, não são apenas palavras e sim sentimentos escritos que o leitor absorve. Se de inicio não queria ler por acreditar ser clichê, no momento não quero ler por causa dessa carga emocional. Em geral absorvo muito o sentimento dos livros que leio. Amo livros que me fazem sentir algo, mas tomo cuidado com os livros desse tipo.
    Mas como confio no seu gosto e opiniões literárias vou coloca-lo em lugar privilegiado na minha lista haha

    ResponderExcluir
  3. Já ouvi tantos cometários sobre esse livro e estou tão curiosa pra ler... Mas fico meio receosa, pois não é um dos meus gêneros favoritos, porém vou ler

    ResponderExcluir
  4. Olá, adoro livros com uma boa dose de drama e neste ainda podemos contar com um final surpreendente, espero ler em breve. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Tenho esse livro na minha estante e será uma das próximas leituras. Gosto desse gênero, mas não são todos os enredos que me conquistam. Mas gostei muito da premissa desse livro e estou com uma boa expectativa para com a leitura.
    Parabéns pela resenha.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Quero muito ler esse livro, até hoje só li um livro da Brittainy, mas quando vi esse livro já deu para saber que devia me preparar para uma carga emocional bem forte, é incrível como a autora faz nos apegar aos personagens e sentir tudo que eles sentem, a historia me deixou curiosa e adorei essa capa que está lindo !!

    ResponderExcluir
  7. Oi Priscila, tudo bem?
    Eu não li nada da autora ainda, mas sempre me envolvo muito com os personagens também, e fiquei imaginando o quando esse livro vai mexer com meu emocional.
    Eu quero muito ler O ar que ele respira desde que vi pela primeira vez, a capa está maravilhosa, e a sinopse sempre me deixou curiosa, mas é como você falou, eu imaginava o livro como algo fofo porque foi o que me passaram através de algumas resenhas que li, e agora lendo a sua vi o quando é tocante e ao mesmo tempo mexe e muito com quem está lendo.
    Parabéns pela resenha, vou tentar ler o quanto antes mas já vou deixar um livro mais leve me esperando quando esse terminar haha
    Beeeijos!
    Lost Words!
    Têm sorteio de um e-book lá no blog, participe!

    ResponderExcluir