As Mentiras Que Nos Contaram Sobre Deus - William P. Young


Editora: Sextante
Páginas: 160

Sinopse: Depois do sucesso de A cabana, A travessia e Eva, que já venderam mais de 22 milhões de exemplares, William P. Young apresenta um livro que nos estimula a repensar algumas das suposições da fé cristã que raramente questionamos. Seguindo a mesma visão revolucionária de Deus e da Criação que emocionou leitores do mundo inteiro, desta vez Young esclarece as lições mais profundas de suas narrativas ficcionais.Pontuado por histórias da vida do autor e escrito numa linguagem simples, direta e cativante, o livro nos faz refletir sobre as crenças equivocadas que atrapalham nosso relacionamento com Deus, nos afastando da mensagem de amor difundida nos evangelhos.Colocando a figura de Jesus e seus ensinamentos em primeiro plano, o autor discute questões essenciais para a compreensão da mensagem de fé e libertação dos evangelhos:Afinal, o inferno existe? Os pecados são capazes de nos afastar de Deus? Será que devemos nos comportar de determinada maneira para sermos dignos do amor de Deus?Mais do que certezas, este livro apresenta perguntas e constrói um diálogo ao mesmo tempo instigante e reconfortante. Mesmo que discordemos de algumas conclusões, o importante é estarmos abertos para o relacionamento único que cada um de nós nutre com Deus.



Eu sempre digo que religião é algo que não se discute, desde que a religião em questão não esteja ofendendo ninguém. Porém, eu gosto muito de falar de espiritualidade, o que a maioria das pessoas confundem com religião e para mim são duas coisas completamente diferentes.

Quando a Sextante lançou As Mentiras Que Nos Contaram Sobre Deus, imediatamente eu pensei que fosse mais um livro sobre religião e meio que torci o nariz, mas como conheço o trabalho  do autor acabei sentindo certa curiosidade e peguei para ler sem pretensão de gostar muito. Com  menos de cinco minutos de leitura virei para minha mãe, que estava sentada a meu lado e falei "Você precisa ler isto!". Rapidamente identifiquei que esse livro seria um dos mais impactantes que leria esse ano e até o fim das 160 páginas não mudei de opinião.

As Mentiras Que Nos Contaram Sobre Deus é dividido em mais ou menos 29 capítulos nos quais William P. Young desmistifica pequenas afirmações sobre Deus que nos ensinaram desde cedo e que são grandes bobagens. Algumas delas são bastante polêmicas e podem chocar pessoas muito religiosas, outras trazem grandes ensinamentos acerca de amor, de relacionamento, de perdão e autoconhecimento, coisas que são valiosíssimas na nossa caminhada espiritual. 

Não sou uma pessoa religiosa, pelo contrário, há muito tempo aprendi que religião é algo complicado, cheio de regras que institucionaliza a busca de uma espiritualidade mais próxima de Deus, seja seu Deus qual seja. E foi exatamente esse um dos aspectos que mais me emocionou no livro de Young, ele fala sobre uma caminhada espiritual, sobre política, feminismo, preconceito, soberba e vários outros pontos que por vezes levam pessoas a destilar ódio contra outras pessoas em nome de um Deus que se intitula o Deus do amor.

Além disso o livro está recheado de passagens e de histórias do autor acerca de suas outras obras e sobre como A Cabana, seu livro mais conhecido, que virou filme recentemente, tem impactado pessoas ao redor do mundo que ele nunca pensou alcançar.

Confesso que não consegui escolher um só quote do livro para colocar aqui nessa resenha, pois se fosse escolher, acabaria por escrever o livro inteiro aqui para vocês, não consigo escolher um quote só, mas um capítulo específico me impactou de forma bastante positiva e eu acho que preciso falar um pouco dele aqui, pois fala sobre a representação que o autor fez de Deus Pai, chamado Papai, em A Cabana. Esse foi um dos aspectos mais comentados por religiosos ao redor do mundo. Ora, como esse autor se atreve a representar a divindade máxima como uma mulher, de meia idade e ainda por cima negra! Em um mundo onde a mulher é hostilizada, um mundo onde os negros são menosprezados, representar a divindade moderna mais cultuada no mundo por essas duas características chocou não só religiosos, mas deixou a mãe do autor revoltada e a partir daí ele conta uma história sobre amor e compaixão que não poderia ser mais linda. 

Hoje posso dizer com todas as letras que As Mentiras Que Nos Contaram Sobre Deus PRECISA ser lido pelo maior número de pessoas possível, já emprestei para minha mãe e já falei para toda a família que eles precisam ler o mais rápido possível. 

Eu amei essa capa, ela é simples e bonita. A diagramação está ok, como sempre a Sextante cuida para que nós tenhamos uma leitura bem fluida. Enfim, acho que já dei recomendações suficientes acerca desse livro.


6 comentários:

  1. Priscila!
    Como você, não sou a favor da religião, porque é tanta regra que a meu ver, é uma contradição imensa. Sempre gosto da espiritualidade e da evolução pessoal que podemos ter no decorrer da vida para nos elevarmos espiritualmente, isso sim vale a pena, porque tudo gira em torno do verdadeiro amor...
    Claro que desejo ler esse livro que traz justamente esse tipo de preceito que cultivo na vida.
    Boas festas juninas e bom final de semana!!!!
    “O que importa afinal, viver ou saber que se está vivendo?” (Clarice Lispector)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Priscila!
    Eu sou Católica, mas isso nunca me impediu de estudar e saber mais sobre espiritualidade e religiões.
    Adoro estudar sobre espiritismo, ubanda e as religiões africanas.
    Acho que religião não deveria ser menosprezada. É o maior exemplo de cultura e tradição de povos. O problema é a forma com que é tratada e expandida. Muitas pessoas não são aconselhadas devidamente, o que causa extremismos.
    Eu li A Cabana faz tanto tempo que não lembro direito a abordagem da história. Vou ler o livro com certeza, porque gosto de ler sobre isso.
    Obrigada pela dica :)

    ResponderExcluir
  3. Eu já de cara amei o título do livro. Me parece ser uma leitura bastante agradável e reflexiva. E concordo que ele deve ser lido pela maioria das pessoas. Acho que nós todos precisamos desse livro

    ResponderExcluir
  4. Humm eu vou ser bem sincera e dizer que não vou ler esse livro, livros assim não fazem meu estilo mas meus pais que já lerem os livros desse autor acham que iriam se agradar pela leitura, assuntos de religião eu particularmente eu não gosto de discutir sempre da muita polemica kkk Mas obrigada pela leitura e que bom que livro foi bom pra você.

    ResponderExcluir
  5. Olá! Sempre complicado falar de religião, sou católica, mas sempre leio livros que tratam do tema, não com o olhar religioso, mas sim para obter mais conhecimento sobre as diversas outras religiões que existem, e também para aprender mais sobre esse tema tão polêmico, acho que conhecimento nunca é demais, li A Cabana, me emocionei muito, e gostei bastante, com certeza vou querer ler esse também.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Priscila!!!
    Gostei bastante de conhecer um pouco sobre esse livro, achei linda a forma que você escreveu a sua resenha sobre esse livro e fiquei bem interessada em conhecer mais dessa obra. Amei a indicação!!
    Beijoss

    ResponderExcluir