Um Acordo de Cavalheiros - Lucy Vargas


Editora: Bertrand
Páginas: 350

Sinopse: Tristan Thorne, o Conde de Wintry, não é um homem para brincadeiras. Com uma vida de segredos, amado e odiado na sociedade, ele não é o parceiro ideal para uma dama. Dorothy Miller não sabe o que há por trás de suas motivações, apenas que ele é bastante intenso. Os jornais dizem que ele bebe demais, joga demais e ama escandalosamente. E até mata. Como uma dama determinada a ser dona do próprio destino como Dorothy Miller acaba em um acordo com um homem como Lorde Wintry? Você teria coragem de guardar um segredo com o maior terror dos salões londrinos? Lembre-se: Nunca faça acordos com ele, pois o conde sempre volta para cobrar.





Um Acordo de Cavalheiros foi minha primeira experiência com a autora Lucy Vargas, não tinha muitas expectativas nesse livro, confesso que peguei para ler apenas por que pertencia aquele gênero que amamos por aqui: romance de época. E olha uma das melhores decisões que tomei até hoje!

 Dorothy Miller acorda em uma cama desconhecida, quase sem roupa e sem saber direito como foi parar ali até que ela vê Tristan Thorne, o conde de Wintry parado ao lado da cama. O resumo é que eles acabaram se tornando próximos durante um jantar promovido pela prima dele e ela acabou em sua cama, mas sem concretizar propriamente o ato. Depois disso Wintry fica obcecado por aquela dama da sociedade e oferece um acordo entre eles: seriam amantes até o fim daquela temporada. Dot, que já está com vinte e seis anos, não tem pretensão de se casar, já não é mais virgem há anos vê a oportunidade de ter uma aventura e assim eles acabam por se envolver. Enquanto está tendo um romance tórrido com Dot, Tristan está em uma missão, ele vai se vingar dos homens que estupraram e mataram sua tia e isso pode ser mais perigoso do que ele imaginava.

A narrativa de Lucy te prende muito rápido, antes da página vinte eu já estava tão viciada no livro que não vi o tempo passar. Sensual, divertida e com cenas muito bem desenvolvidas a trama te prende de um jeito que você não consegue parar.

Não vou dizer que Dot é uma moça a frente do seu tempo por que isso é muito óbvio, ela além de não ter pudores por ter perdido sua castidade antes do casamento, anseia por liberdade, não só na cama, mas fora dela também e além de querer para si mesma, ela espera proporcionar isso para a prima.

Tristan é o típico libertino dos romances de época que a gente adora, a diferença aqui é que ele alimenta as fofocas para um certo propósito e por isso tudo que falam sobre ele e sua imoralidade é exagero. Ele é sensual, divertido e louco por Dot mesmo sem saber, a relação deles se desenvolve a olhos nus diante do leitor e nós ficamos "eles estão tão apaixonados" e suspiramos muitas vezes por conta desses dois.

Eu realmente espero que a Lucy escreva outras histórias com o mesmo núcleo de personagens. gostaria muito de ver alguns casais que apareceram no livro terem suas histórias contadas, assim como a história da prima de Dot.

Essa capa é maravilhosa, eu amo azul então sou meio suspeita para falar. A diagramação também está ótima, letra no tamanho certo, margens bem cuidadas, o que ajuda muito ao leitor. Enfim, recomendo muito esse romance e ainda é nacional, o que pode até parecer uma surpresa para alguns, mas não perde em nada para os romances de época gringos.


9 comentários:

  1. Já tinha visto muita coisa boa dos livros dela e esse gênero é um que amo, então o livro chamou atenção. A narrativa da autora parece prender mesmo, deve ser legal de ler o livro por isso. Pra quem já gosta de coisas assim parece valer a pena. E a Dot é bem diferente do que a gente espera nesse tipo de romance né? Tem tanto clichê com mocinhas virgens e coisas assim que fica bem diferente ver alguém como ela. Achei legal. Fora dos padrões.
    Acho que gostaria muito de ler ^^

    ResponderExcluir
  2. Oi Priscila! Eu quero muito ler esse livro da Lucy. Adorei a mocinha que é a Dot e sei que vou amar o Tristan. Quero ver como eles vão lidar com a atração que sentem um pelo o outro *-*

    ResponderExcluir
  3. Confesso que tive uma certa dificuldade em relação a forma de escrita da autora, foi o meu primeiro contato com ela. Mas isso não prejudicou nenhum um pouco a história.
    Achei as surpresas, o romance e o desfecho incríveis. Super indico!
    É uma leitura bem gostosinha, ainda mais pra quem curte romances de época <3
    Tristan é tudo de bom e mais um pouco!
    Beijos
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  4. Olá! Já conhecia o trabalho da Lucy Vargas, e adorei os outros livros dela, está série já está na minha lista de leitura há algum tempo, quero muito inicia-la, pois o enredo tem tudo que eu amo: romance de época, aventuras, dramas e mistérios.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Priscila!
    Nossa que surpresa boa esse livro!! Gostei muito da estória e fiquei mega curiosa com tudo que você escreveu, ainda não li nada da Lucy mas agora quero muito.
    Bjoss

    ResponderExcluir
  6. Oi Pri, tudo bem?
    Já tinha visto este livro, mas ainda não fiz a leitura. Eu gostei bastante da personalidade da Dot, estava pensando esses dias em como as mulheres são retratadas como se fossem de papel nos romances de época, e pelo jeito nossa protagonista é bem forte nesta trama. Fiquei curiosa para conhecer essa relação entre os dois personagens.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá, apesar de não ser inovador, a fato de a protagonista ser dona de si mesma e não deixar ninguém controlá-la torna a obra interessante, sem contar que personagens misteriosos como esse Conde só deixa a trama mais divertida. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Priscila!
    Realmente é um romance inusitado no quesito de como se iniciou, a Lucy soube ser criativa e inovar, ainda mais com uma roupagem mais contemporânea, mesmo sendo um romance do século XIX, quero dizer, ambientado nessa época.
    Acabei de ler Nove regras a ignorar antes de se apaixonar, onde a protagonista tem 28 anos e ainda não casou, o que é raro para a época e também é o debu da irmã mais nova, mas as semelhanças param por aí, mais ou menos, tem ooutras coisas parecidas, mas não iguais…
    Quero ler com toda certeza.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  9. Oi, conheci a autora por outro livro, e quando li a sinopse achei bem clichê, mas é bem diferente do que eu imaginava. Só li dois romances de época nacionais, e eram muito bons, espérolas ler esse é também gostar.

    ResponderExcluir