Fazendo as Pazes com o Corpo - Daiana Garbin



Editora: Sextante
Páginas: 168

Sinopse: Uma jornada para vencer a relação doentia com a comida e a obsessão pela forma perfeita.“Para conseguir ser magra, já fiz tudo o que você pode imaginar. Tomei todos os tipos de remédios para perder peso e controlar o apetite: anfetaminas, tarja preta, fórmulas e medicamentos fitoterápicos, passando por remédios para diabetes. Tomei laxantes, diuréticos, calmantes, ansiolíticos, estimulantes, soníferos e também aquele medicamento que tira 30% da gordura dos alimentos, mas que, ao menor descuido, faz você sujar as calças sem perceber. Fiz todas as dietas que existem, da proteína, da lua, do abacaxi, dos dias ímpares, do jejum. Já fiquei dois anos sem comer carboidratos. Tentei vomitar depois das refeições, mas não consegui. Desejei ter anorexia, mas não resistia muitos dias sem comer. Fiz diversos tratamentos estéticos e confesso que já fiz três cirurgias de lipoaspiração – e ainda precisei pegar empréstimo bancário para pagar esses procedimentos e fiquei endividada até as orelhas por muitos anos. *** Escrevi este livro para dividir com você como os acontecimentos que deram origem aos meus problemas foram se sobrepondo até culminarem em uma situação insustentável, e como, a partir daí, comecei a aprender a respeitar o meu corpo e a fazer as pazes com a comida e com a saúde. Vou mostrar tudo o que fiz para conseguir gostar do que eu enxergo no espelho, para desenvolver meu amor-próprio, para ter prazer de comer sem culpa, sem excessos e sem restrições, e para, sobretudo, me aceitar como eu sou, com todos os meus defeitos e qualidades.”




Fazendo as Pazes com o Corpo é o livro de estreia da jornalista Daiana Garbin e um livro que trata de um assunto importantíssimo para as mulheres do mundo moderno: nossa relação com nossos corpos. Quando decidi ler esse livro eu estava passando por um processo bem pesado na minha vida profissional que refletiu e muito na minha vida pessoal, o que eu descontei comendo, a capa me chamou muito a atenção pois lembrei que já havia visto essa pessoa em algum lugar e a diagramação que a Sextante construiu nesse livro me deixou de queixo caído, tem depoimentos de pessoas "comuns" dentro do livro, além de fotos de Daiana em várias fases da vida e o prólogo é do marido dela Tiago Leifert.

Em Fazendo as Pazes com o Corpo Daiana aborda um problema da sociedade moderna que é: o culto ao corpo e a pressão em cima de uma magreza exagerada. A jornalista passou por um processo de cobrança e automutilação que a levou a desenvolver um distúrbio alimentar. Durante anos ela tomou remédios inibidores de apetite, fez cirurgias plásticas e milhões de procedimentos estéticos em busca do corpo perfeito até que em um momento de desespero ela decidiu pedir ajuda.

Assim como ela, várias de nós sofremos com nossa relação com a comida. Como falei no começo dessa resenha, esse livro veio em uma ótima hora, me identifiquei muito em vários trechos da fala de Daiana, pois assim como ela não mantenho uma relação saudável com a comida, sempre que passo por situações de pressão acabo comendo sem medidas e depois me sinto culpada por isso. Sempre me orgulhei de ser equilibrada e levar muitos do preceito da ioga, que pratico desde 2012, a sério mente sã, corpo são, mas como lidar quando sua mente não está sã? E é exatamente isso que Fazendo as Pazes com o Corpo aborda, nossa relação entre corpo e mente que muitas vezes é expressa através do consumo exagerado de comida.

"Precisamos reaprender a ser amáveis com nós mesmas. Com frequência somos gentis com os outros e cruéis conosco. Quantas vezes você disse a outra pessoa como ela é linda? Por que não consegue dizer a si mesma que é bonita,competente, forte, inteligente, que é suficiente? Trate-se com carinho, com compaixão, gentileza, amor, paciência, delicadeza, generosidade. Você não trata as pessoas que ama dessa forma? Então por que se trata com ódio, impaciência, rigidez?
Você chamaria alguém de baleia, porca, gorda, preguiçosa, sem determinação, fracassada, incapaz de conter os próprios impulsos e se controlar? Teria coragem de fazer isso? Então por que faz com você?"

Através de depoimentos de especialistas, de pessoas reais que passam por problemas com autoaceitação e autoestima Daiana Garbin nos leva a refletir sobre nós mesmos e nossas pequenas atitudes. Desde o motivo que você não veste aquele maiô para ir a praia, ou a quanto tempo não aprecia um jantar com amigos em uma boa pizzaria sem se sentir compelida a fazer um detox no dia posterior. Pequenos momentos que são tirados de nós e não apreciados por um sentimento de culpa e uma obsessão para nos manter nos padrões de uma sociedade que está doente. 

" Queira ser você! Permita-se ser linda como você é. Queira ter a sua bunda, as suas pernas, o seu  rosto e pare de pensar e verbalizar que eles são feios ou defeituosos. Sabe como vai aprender a gostar do seu corpo? Somente no momento em que aceitá-lo como ele é."

A mensagem mais importante aqui é que você se sinta bem com você mesma, mas que aprenda a não se castigar para ser como aquela blogueira fitness. Para você se amar não precisa ter os gominhos na barriga. É um equilíbrio que eu ainda não aprendi a ter, mas o primeiro passo é parar de se castigar e admitir que tem um problema. Enfim, fica aí a reflexão: você tem uma relação saudável com seu corpo e com a comida que você coloca nele?



13 comentários:

  1. Adorei a proposta do livro, é muito importante mais pessoas virem debater sobre este assunto tão polêmico. É tão difícil quando o assunto é o corpo perfeito, pois muitas mulheres crê fielmente neste conceito, se esquecendo que a saúde deveria vir em primeiro lugar.

    ResponderExcluir
  2. Ola, Gostei muito da indicação desse livro, a maioria das mulheres vivem em função de ser aceita com pessoas bonitas, ter um corpo perfeito, e esqueçe que temos que nos aceitar como somos e se sentir bem acima de tudo!!

    ResponderExcluir
  3. A ditadura da beleza que tanto atrapalha. É exaustivo ser o que as pessoas querem. Como vc, tbm passei por um momento ruim e descontei tudo na comida. Além de comer, me sentia muito mal depois, aquela imensa culpa "Pq comi isso?", "Pq comi tanto?". Sentia remorso sempre que comia. Procurar ajuda é fundamental.

    ResponderExcluir
  4. Olá! O livro deve ser ótimo, aborda esse tema que é tão importante, principalmente para as mulheres, e essa pressão pelo corpo perfeito que nos é imposta, com certeza também me identificarei com vários trechos, pois, neste momento, estou em busca de uma relação melhor com a comida.

    ResponderExcluir
  5. Olá Pri, tudo bem? Antes de mais obrigado por compartilhar algo tão intimo sobre você. Confesso que estou passando por isso devido a faculdade, engordei um pouco e vira um ciclo de nervosismo, ansiosidade, comer demais e culpa.
    Fiquei interessada demais nesse livro, creio que seja uma excelente dica para pensarmos mais sobre o assunto, ainda mais para uma escritora que sentiu na pele este transtorno!

    ResponderExcluir
  6. Não é um livro que eu leria, pois não faz meu estilo. Mas gostei bastante da mensagem que ele nos passa, ainda mais nessa sociedade atual onde esse tema é bem comum (principalmente mulheres).
    Eu sempre estou em busca em tentar manter essa relação, mas não é fácil!

    beijos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  7. Tá aí um tema que só dá dor de cabeça pra gente. A relação com nosso corpo e a ideia de magreza e o querer ser "magra e bonita" é um troço que enfiaram na nossa ideia e isso dá tanta pressão, tanta coisa ruim pra nossa vida. Apesar de trazer coisas boas também, quanto a saúde e essas coisas. Mas nossa, só lendo umas experiencias de gente que passou por coisas não tão agradáveis pra ver como isso consegue fazer mal pra pessoa. É importante estabelecer uma relacionamento bom com seu corpo, se aceitar, buscar melhorar se não gostar de algo, mas sempre na medida certa e sempre visando a sua saúde e bem estar. Achei o livro bem interessante. Fica uma coisa boa de ler.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Priscila!!
    Sem dúvida esse é um livro super importante para todos que sofrem com a relação corpo perfeito que a sociedade tanto exige. Nunca fiz uso de nenhum medicamento para emagrecer mas sem que várias das minhas amigas já recorreram a esse método para ter um corpo perfeito. Amei a indicação e adoraria conhecer um pouco mais sobre esse livro.
    Bjoss

    ResponderExcluir
  9. Olá Querida!
    Agradeço de coração por compartilhar com nós algo intimo seu, que passa ou já passou com você. Essa situação não é muito boa, eu mesma já passei por isso. O livro server mais para auto-ajudar e com certeza será bem vinda em vidas de varias mulheres que sofrem com esse acontecimento. Eu já quero ler!

    Meu Blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  10. Nunca fui muito fã desses livros de auto-ajuda Até que a premissa é interessante mas realmente eu sempre pulo Livres assim não consegue entender minha atenção e sinceramente não me agrada

    ResponderExcluir
  11. Priscila!
    O livro deve mesmo ser bem interessante, afinal e infelizmente, na nossa modernidade, o culto ao corpo é extremo, as pessoas valem por suas aparências o que leva a pessoas que não se encaixam nesses padrões, terem algum prblemas psicológico e a sofrerem.
    Fico feliz em saber que o livro a ajudou em fse difícil.
    “A poesia contém quase tudo que você precisa saber da vida.” (Josephine Hart)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Não curto esse estilo de livros, mas achei interessante o fato de abordar assuntos com o culto excessivo dos corpos padronizados.
    Realmente, temos que falar sobre isso, pois, pessoas estão sofrendo e morrendo por um peso social ridículo.

    ResponderExcluir