Como Parar o Tempo - Matt Haig


Editora: Harpper Collins
Páginas: 320

Sinopse: Tom Hazard esconde um segredo perigoso. Ele pode aparentar ser um quarentão normal, mas por causa de uma estranha condição está vivo há séculos. Da Inglaterra elisabetana à era do jazz parisiense, e de Nova York aos mares do sul, Tom já testemunhou tanto que agora precisa apenas de uma vida normal. Sempre trocando a identidade para se manter a salvo, ele encontra o disfarce perfeito trabalhando como professor de História em Londres. Assim, pode trazer suas experiências do passado como fatos vivos. Pode manipular as histórias para seus alunos. Pode levar uma vida normal. Tom só não pode se esquecer da primeira regra. Aquela sobre paixão...Como parar o tempo é um romance doce e envolvente sobre como se perder e se encontrar na própria história. É sobre as certezas da mudança dos tempos e o tempo que a vida leva para nos ensinar como vivê-la.



Como Parar o Tempo foi minha primeira experiência com a escrita de Matt Haig e foi uma experiência única. Eu esperava uma escrita mais fantasiosa, mas a escrita de Haig surpreende por ter um tom poético com vários quotes que você irá querer emoldurar.

Tom Hazard  faz parte de uma minoria da humanidade que tem uma condição genética na qual suas células envelhecem de forma muito mais devagar. Por conta disso Tom, que nasceu por volta de 1500, teve sua mãe morta, depois sua esposa morta por causa da peste e perdeu contato com a filha. Depois de anos ele é encontrado por uma sociedade secreta onde eles recrutam seus pares para que estes não sejam usados em experiências científicas. Porém, Tom está cansado, ele quer encontrar a filha e encontrar paz o que o faz começar a questionar a sociedade Albatroz.

A narrativa é uma costura bem feita e amarrada entre presente e passado, não se trata do recurso flashback, pois o protagonista muitas vezes mistura presente com passado principalmente ao passar por lugares onde viveu grandes emoções. 

Personagens históricos como William Shakespeare, também aparecem como velhos conhecidos do personagem principal, assim como personagens fictícios que representam categorias como a inquisição e caçadores de bruxas e tem fundamental importância para as tragédias na vida do personagem principal.

Claro que também temos um romance no livro, mas apesar da chamada sobre não se apaixonar, ele não é destaque na narrativa, muito pelo contrário, passa a ser um pano de fundo diante da enormidade e das histórias do passado contadas pelo protagonista e principalmente por conta de seu amor pela filha.

Tom Hazard muitas vezes lembra um Benjamin Burtton as avessas, ele não nasceu velho, mas não envelhece. O rosto jovem que muitos procuram nos dias de hoje, representa mais um problema que necessariamente uma benção, a sabedoria dos anos com rosto jovem nada mais é que uma maldição.

Eu acho essa capa bonita,embora não ache que ela represente o tom poético do livro. A diagramação da editora está beirando a perfeição, principalmente por conta das notas explicativas ao longo do livro que ajudam muito nossa compreensão de certas passagens. Enfim, uma boa pedida para quem gosta de um livro de realidade fantástica.


22 comentários:

  1. Gostei do jeito dessa história e ela parece ser cheia de surpresas porque olhando no começo não esperava muito. Mas o tom dela me ganhou. E isso de passado e presente também chama minha atenção. Tudo que pode mostrar, as coisas que trás pra gente refletir e tal...
    Os conhecidos famosos do personagem, ah adoro quando fazem uns troços assim. Acho bem interessante.
    Tem muita coisa ali que me chamou atenção e já vou colocar na lista de leituras. Me deixou curiosa.

    ResponderExcluir
  2. Difícil se quer imaginar como seria viver tanto tempo e só por isso a história já fica interessante e pela resenha animadora, ela parece sim valer a pena e nos trazer bons personagens. Fiquei pensando sobre quantos anos tem a filha que ele procura e como se desenvolve o romance, mesmo que ele não seja o foco. Curti a dica e a resenha ;)

    ResponderExcluir
  3. Eu amo narrativas poéticas e histórias que contenham quotes belíssimos; mas preciso confessar que esse livro não faz muito meu gênero. Não é muito convidativo.
    Achei interessante ter personagens históricos.

    Gosto da capa, esse tom de azul é bem bonito e todos os detalhes deram um charme.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá Priscila! Eu achei a capa muito bonita, com imagens relacionadas à história. A trama parece mais como uma viagem no tempo, algo que conquista o leitor. Acho que a mistura de passado e presente pode ficar confusa. Mas as aventuras vividas pelo personagem ao longo de sua existência devem ser fascinantes. Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Priscila.
    Eu concordo com você, essa capa é linda porém não acho que representa bem a essência do livro.
    Eu também fui pega de surpresa pelo tom poético que o livro trás, a história em si é incrivelmente bem desenvolvida, eu adoro que o autor fez algumas referências a autores maravilhosos, enfim, essa foi uma ótima leitura.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Olá, apesar da premissa simplista a obra com certeza deve cativar o leitor desde a primeira página. Haig entrega uma trama extremamente bem engajada e que conta com tantas referências históricas que até miniminizam o romance aparentemente superficial. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Oi Priscila!
    Jurava que o foco da história seria um romance proibido, já que a sinopse dá a entender isso. A mim pareceu bastante o filme "A história de Adaline", porque ela também lembrava do passado em alguns casos e vive quase as mesmas condições do protagonista.
    Ainda não me acostumei com leituras poéticas, nunca gostei mto, mas estou tentando ler mais ultimamente, já realidade fantástica eu gosto, e adorei a resenha do livro.
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Eu achei que a capa não tem muito a ver com a história, não sei se representou muito bem o tema. Encontrei uma coisa totalmente diferente do que imaginei ao olhar para a capa. Mas gostei de que li, achei interessante a ideia de viver por séculos, quer dizer, é interessante ler sobre isso, não quero viver isso tudo kk
    Espero ter a oportunidade de ler em breve.

    ResponderExcluir
  9. Fiquei encantado com a ideia proposta pelo Matt de “desorientar o tempo” da narrativa. Muito bacana! Fiquei curioso para ler assim que saiu, logo o fiz. A partw, isso sou eu: “Às vezes – falei -, o mundo não é como gostaríamos. Às vezes, as pessoas podem nos desapontar. Às vezes, as pessoas fazem coisas terríveis com as outras. É preciso ter cuidado na vida. Sabe, eu sou diferente. Você sabe, não? O mundo envelhece para a frente, e eu, aparentemente, envelheço para os lados.”- Totalmente!

    ResponderExcluir
  10. Olá, Adoro livros com tom poético, ache muito interessante a premissa do livro, deve ser uma leitura cheia de surpresas e com muitas aventuras, viver tanto tempo assim e conhecer Personagens Históricos, é muito legal. Achei a capa bonita, mas acho que não representa bem a história, Gostei da dica vou ler se tiver oportunidade.

    ResponderExcluir
  11. Oi Priscila...
    Gosto muito de livros que trazem poesias e personagens históricos que tiveram sua importância na literatura... Essa ideia de flashbacks entre passado e presente com certeza devem deixar a leitura um tanto quanto emocionante... Com certeza quero ler esse livro...
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  12. A capa deste livro e muito bonita, e não imaginava que a escrita desta autora fosse tão bem escrita, poética, de forma que consiga cativar o leitor, e o envolver durante toda a obra. Outro ponto que me chamou a atenção foi a construção dos personagens, a forma como eles foram introduzidos, e forma tão bem desenvolvida.

    ResponderExcluir
  13. Achei esse livro muito fofo bem interessante lhe Ei apesar de ter visto as críticas negativas e me surpreendi com a leitura

    ResponderExcluir
  14. Patrícia!
    É difícil ver um livro de fantasia com uma linguagem mais poética e acredito que deva ter sido o diferencial desse livro, sem contar que as personagens são bem delineadas, ainda tem flash backs que gosto demais, enfim, fiquei com vontade de ler.
    Um Novo Ano repleto de realizações!!
    “Para ganhar um ano novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.” (Carlos Drummond de Andrade)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA dezembro 3 livros + 2 Kits papelaria, 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  15. A capa desse livro é uma gracinha. Além de trazer uma proposta diferente e aparentemente divertida. E apesar de não ser a louca da fantasia acho que esse livro tem muito potencial para que eu goste dele. Legal saber que o livro tem esse tom poético e que tem essas observações que nos ajudam a entender melhor, gosto disso nos livros pois torna mais leve e nada cansativo.

    ResponderExcluir
  16. Essas rosas em redomas sempre me lembram de A Bela e a Fera e até achei que o enredo seria sobre algo parecido. Enfim, viver para sempre parece o máximo, mas quando se pesa coisas como perder pessoas que se ama, solidão, a ideia já não parece mais tão atraente. Me Lembrou Tessa, de A Princesa Mecânica. Vive em condição semelhante, mas não aguentou o baque de viver e perder quem se ama.

    ResponderExcluir
  17. Olá! Quando vi esse lançamento adicionei na minha lista, principalmente por causa da capa, que eu achei linda, pelo visto não me arrependerei, pois parece ser um livro maravilhoso, uma história cheia de grandes emoções, muito bacana esse recurso de inserir personagens reais em meio à narrativa do livro.

    ResponderExcluir
  18. Oi, Priscila! Esse livro parece ser lindo! Fiquei muito interessada por essa "maldição" que o protagonista sofre de não envelhecer e perder todas as pessoas queridas ao longo do tempo, deve ser muito dramático, porém com certeza é uma perspectiva muito curiosa. Gostei de saber que o romance não é o único foco também. Enfim, anotei aqui na lista!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Não conhecia o livro, mas achei bonito.
    É legal pensar que a gente quer tanto se manter jovem, e quem ainda o é, se senti mal e perdido, por ter perdido familiares ao decorrer dos anos.
    É de refletir e se questionar, com certeza.
    Anotado aqui!
    bjsss

    ResponderExcluir
  20. Oi, Priscila!!
    Gostei da premissa do livro, acho interessante descobrir o que pensa alguém que não envelhece e já acompanhou tantos momentos históricos... mas também acho que não envelhecer torna-se uma maldição por perder todos os que ele conhece e não poder fazer nada.
    Bjoss

    ResponderExcluir
  21. Não cinhecia esse livro, porém gostei da história. É o tipo que curto. Minha lista de livros so esta aumentando, nem sei como vou dar conta de ler. Mas vai mais um livro para a lista.

    ResponderExcluir
  22. Oi Priscila ;)
    Não leio muitos livros desse gênero realidade fantástica, mas me interessei em ler Como Parar o Tempo desde que a editora anunciou o lançamento.
    Bem legal essa história que o autor criou, e estou curiosa para saber como foi para ele viver tanto tempo e estar presente em grandes acontecimentos históricos! E interessante essa sua comparação do protagonista com um "Benjamin Burtton as avessas", me deu mais vontade de ler ainda S2
    Bjos

    ResponderExcluir