Eu, Tonya (2018) | Crítica



Um retrato fiel de uma vida fora do comum.


Fiel talvez não seja a palavra adequada para definir o filme, já que ele se baseia numa série de entrevistas que datam a época do incidente, mas um relato verdadeiro da vida de Tonya Harding, uma patinadora do gelo red neck que fugia dos padrões estabelecidos dessa comunidade elitista, com seu exímio talento e força de vontade, teve uma vida repleta de abusos e maus tratos que a levaram a cometer diversos erros e a aceitar diversas situações absurdas em sua vida nada comum.


Eu, Tonya acerta em seu tom, em sua montagem, em sua escolha de casting, sua trilha sonora, sua ambientação, em sua fotografia e em sua narrativa, não deixando espaço praticamente para erros durante sua execução, ritmo rápido e com tons de humor negro e quebra da quarta parede em momentos pontuais da história, torna essa cinebiografia interessantíssima de acompanhar do começo ao fim. As ascensão de uma estrela bruta pela pura força de vontade e talento indo contra tudo e contra todos em busca da sua realização, mas enquanto sua vida profissional ascendia, mesmo não se encaixando nos padrões, sua vida pessoal sempre estava aos tropeços, partindo da sua mãe que sempre a abusou, seja verbalmente, psicologicamente ou até mesmo fisicamente, a um marido obsessivo, agressor e estúpido, já que ele é o grande responsável por toda a polêmica por trás do “incidente”, onde acompanhamos a repercussão mundial e como a mídia se aproveitou disso para sugar toda e qualquer publicidade em cima do desastre que aconteceu.


A atuação de Margot Robbie nas diversas etapas da vida de Tonya são extremamente bem executadas, juntamente com a de sua mãe interpretada por Alisson Janey, duas indicações merecidíssimas ao Oscar neste ano, é bom ver uma atriz realmente talentosa como Margot ser reconhecida na cena não apenas pela sua beleza, mas também pelo seu talento e força de vontade, já que a mesma é também produtora desse projeto que serve como ao um tipo de redenção da personagem da Tonya em sua própria vida, que não foi nada fácil.


Eu, Tonya consegue de forma muito habilidosa mostrar todas as nuances da vida de alguém que possui um dom, mas as vezes por motivos externos é incapaz de viver em sua plenitude as possibilidades que sua habilidade pode proporcionar. Estamos acostumados a ver artistas performarem e não nos questionarmos como são suas vidas fora dali e o quão isso é importante para sua performance. Aqui, temos essa noção do quão imperfeitos podem ser as pessoas talentosas, e que saber? Está tudo bem ser imperfeito.

"Cada um tem a sua verdade",
HARDING, Tonya.

15 comentários:

  1. Uau! Não tenho nem comentários, só posso dizer que PRECISO assistir esse filme.
    Me parece que pode ser um pouco forte, mas é real... A realidade de atletas/artistas por trás dos holofotes nem sempre é um sonho. E isso é cruel, mas necessário mostrar isso.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia esse filme, mas parece ser muito interessante. Principalmente o figurino e a trilha sonora.. já quero olhar.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito quando vi que iria sair esse filme e pela atriz ali e um papel tão forte assim. É legal ver que uma atriz como ela tem a chance de brilhar e mostrar todo potencial, não só uma carinha bonita num filme bobo. E nem sabia dessa história. Nossa, tem tanta coisa errada e horrível na vida dessa mulher. A gente vê um artista talentoso e às vezes esquece mesmo que tem uma pessoa real ali, com sentimentos e dificuldades como a gente. Achei muito bom esse filme por ilustrar isso e parece ter feito bem.

    ResponderExcluir
  4. Olá!!
    Ainda não conhecia esse filme, mas gostei da resenha e gostaria de ver, gosto muito de filmes que relatam a realidade por mais dura que ela seja!!

    ResponderExcluir
  5. Oi Jonny.
    Não tinha ouvido falar sobre esse filme.
    Gosto muito de ver filmes baseados em fatos reais, principalmente de atletas. É uma forma das pessoas saber algumas das dificuldades que eles passam e conhecer a rotina deles.
    Vou tentar ver esse filme em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi, Jonny!
    Não costumo ver filmes, e ultimamente, quando assisto ou é de comédia ou de animação, e sinceramente, cinebiografia não é um estilo que eu assista ou curta... deve ser por isso que a trama de Eu, Tonya não despertou o meu interesse, não fiquei curiosa para conhecer mais da vida da Tonya Harding... Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Ainda não conhecia o filme,mas depois de conferir tua resenha fui dar uma olhadinha no trailer e me arrepiei. Fiquei super curiosa para olhar, pois gosto de historias que são reais. Excelente indicação!

    ResponderExcluir
  8. Olá! Embora seja muito diferente dos filmes que estou acostumada a assistir, gostei que o enredo abordasse uma história que aconteceu de verdade, as atrizes Margot Robbie e Alisson Janey têm performances incríveis, e gosto de saber que a trilha sonora do filme é tão boa quanto o mesmo.

    ResponderExcluir
  9. Jonny!
    Embora não conheça a patinadora, gosto demais de filmes que contam a biografia de vida dela, seus dramas, sofrimentos, vitórias.
    Deve ser um filme bem interessante.
    Um carnaval de alegria e moderação e desejo uma nova semana!
    “Ninguém é assim tão velho que não acredite que poderá viver por mais um ano.” (Cícero)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  10. Johny, então vou ser bem sincera aqui que eu não tava dando nada por esse filme, mas agora eu estou totalmente motivada a assistir esse filme é prestigiar essa história. Olha se não fosse por você ele ia passar direto. Obrigada pela indicação.

    ResponderExcluir
  11. Oii Jonny!
    Acredita que não conhecia nada da história de Tonya? Apesar disso me interessei pelo filme pelos seus elogios as performances do atores, pela história sofrida e intensa da patinadora, não deve ter sido fácil essas atuações. Mais um filme mostrando uma realidade que está fora do alcance dos nossos olhos.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nem eu conhecia, fui ao cinema de cabeça livre sem pré julgamentos e fui acompanhando essa história maravilhosa.

      Excluir
  12. Eu não conhecia esse filme, mas já fiquei super interessada nele! A história parece ser incrível! E eu adoro a Margot Robbie.
    Eu fui até ver se já estava no cinema, mas ainda não chegou na minha cidade :(

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Não conheço essa Tonya mas fiquei curioso com esse incidente, não vou pesquisar pois quero ver o filme. Não sou muito fã de biografias mas acho que essa vale a pena, a história parece interessante nos leva a refletir o que há por traz da beleza que vemos em competições.

    ResponderExcluir
  14. Margot é uma atriz incrível, finalmente ela faz uma papel no qual pode mostrar todas as suas habilidades cênicas! Allison Janney forte candidata ao Oscar, atuação impecável. E pensar que essa historia é real...
    Bjs

    ResponderExcluir