Vida - Audrey Carlan - Trinity #04

Editora: Verus
Páginas: 238
Classificação: 

Sinopse: O quarto volume da série Trinity, da mesma autora de A garota do Calendário. Maria De La Torre é uma sobrevivente. Seu passado foi de muito sangue e sacrifício. Hoje ela tem suas amigas e irmãs de alma ao lado, mas só Maria pode viver sua vida. A vida que ela escolheu. A mesma que uma pessoa do passado está tentando tirar. Elijah é o último homem com quem Maria deveria se relacionar. Ele é um caçador de recompensas sombrio e fora da lei — o exato oposto do homem que ela amou e perdeu, aquele que abriu mão de tudo por ela. O fato é que Elijah não é o tipo de homem que recua facilmente. Ele está acostumado a ter o que quer, e o que ele quer agora é a sedutora dançarina de cabelos negros. O tempo não está a favor de Maria e Elijah. Há uma nova ameaça à vida de Maria, uma que ela jamais pensou que teria de enfrentar novamente. E, dessa vez, é um caso de vida ou morte. Maria logo vai descobrir que as coisas que ela mais quer talvez sejam exatamente aquelas que têm o poder de destruí-la.



Vida é o quarto volume da série Trinity da autora Audrey Carlan, o quarto e o quinto livro da série contam a história das amigas de Gillian, a protagonista dos três primeiros livros.

Maria De La Torre é uma dançarina talentosa, meio italiana e meio espanhola, sangue quente corre por suas veias. Depois da morte do namorado ela terá que superar um novo obstáculo. No passado, assim como Gillian, Maria sofreu com um relacionamento abusivo. Seu ex-namorado tentou matá-la afogada depois de quebrar suas duas pernas com um taco de beisebol. Ela não lida muito bem com perdas e depois da morte de Tommy, ela se sente culpada por não ter dito ao policial que o amava. E é em frente ao caixão do amado que ela dá de cara com Elijah, o irmão gêmeo do namorado morto, por quem ela se sente atraída de imediato. Ele é uma versão bad boy perigosa de Tommy, acostumado a ter tudo o que quer, não poupará esforços para ter Maria. No meio desse romance tórrido, a moça começa a ser ameaçada por seu passado violento.

Atualmente essa autora está empatada no meu ranking, li uma série que não gostei dela ( A Garota do Calendário) e estou lendo a série Trinity que tem me agradado bastante. Então, ela sabe acertar a mão, mas pelo visto não é sempre.

Maria é uma mulher com sangue quente e essa característica é importante, pois pensamos geralmente que mulheres que sofrem violência doméstica, que tem relacionamentos abusivos, são geralmente fracas e isso é um mito. Muitas vezes são mulheres fortes, mas que acabam por se envolver com homens que não as merecem. Ela foi quebrada, mas seu espírito conseguiu se recuperar. E o livro na verdade nem fica muito focado nisso, pois é algo que já se deixou claro nos outros volumes que ela está recuperada desse episódio, apesar de ainda ter medo do ex. O principal dilema de Maria é lidar com a culpa que sente por amar o irmão de seu namorado morto. 

 Elijah é aquele mocinho que a gente ama, forte, quente, mandão na medida. Ele viveu longe da família por anos e quando volta encontra uma mulher que vai virar sua vida de cabeça para baixo. Quando ele vê Maria, ele sabe que é ela e que vai ter que fazer de tudo para tê-la.

Há muitas cenas hot no livro, então se você não gosta talvez você não vá curtir tanto esse livro, mas se você gosta já pegue o baldinho por que olhe pense no calor!

Eu amo essas capas, essa é tão linda que dá vontade de emoldurar. A diagramação da editora está ótima e ajuda muito numa leitura rápida. Não posso esperar para ler o último livro que parece ser de muita dor e sofrimento. 

17 comentários:

  1. Oi Pri.
    Eu li a série A garota do calendário e foi uma leitura ok. Acho que a série é muito grande para pouco conteúdo.
    Não fiquei com vontade de ler essa nova série da autora.
    Não sou tão fã de livros hots, então acho que não é para mim
    Mas acho as capas dessa série muito lindas!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Priscila!
    Estou lendo A garota do calendário e li até março e até aqui gostei, mas ando bem curiosa por ler essa série, parece que é ainda melhor.
    Bom ver que a protagonista agora é a amiga da protagonista dos outros três livros e que o enredo prende do início ao final.
    Primeira resenha que leio desse quarto livro.
    Boa semaninha!
    “Os lírios não bastam. As leis não nascem das flores. Meu nome é luta, e escreve-se na história.” (Luciana Maria Tico-tico)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MARÇO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Priscila.

    A Maria, assim como sua amiga, sofreu muito, hein?!

    Por o Elijah ser irmão gêmeo de seu namorado que morreu, talvez isso, tenha gerado nela uma confusão de sentimentos, após uma grande perda, mas que com o tempo pode ter se tornado algo real e sincero....

    ResponderExcluir
  4. Maria parece uma personagem com uma passado e tanto e chamou atenção uma tração pelo irmão gêmeo do namorado morto. Que louco...
    Mas achei interessante pelas coisas que ela sofreu no passado, esse relacionamento horrível que teve. Pra superar isso não deve ter sido fácil.
    O Elijah parece daqueles mocinhos fáceis de gostar,m torcer pelos dois deve ser legal e companhar a historia deles pode ser muito bom. Esse livro me chamou mais atenção que os outros.

    ResponderExcluir
  5. Oi Priscila,
    Comecei a ler A garota do Calendário mas acabei desistindo no quarto volume, acho que o que mais me incomodou foram o número de paginas, pouco conteúdo e muitas cenas hot. Então, confesso que não estou muito animada para ler essa nova série, a autora não caiu na minha graça. Até gosto de livros com cenas hot, mas nada que apele ao exagero, desde que sejam na medida certa.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Nossa, se vc não tivesse me falado eu nem teria me tocado que é a mesma autora de A Garota do Calendário ;$ hahaha
    Li A Garota do Calendário meio forçada... achei todos os livros repetitivos demais...
    Não sou muito fã de cenas hot. Acho que por isso que não gostei da outra série da autora.. mas este ai parece ter mais conteudo além disso né?! hehe
    Os livros da série são independentes? eu gosto disso haha
    Fiquei curiosa!

    ResponderExcluir
  7. Oi Priscila!
    Apesar de estar gostando de "A garota do calendário" eu confesso que não gostei muito dessa série da Audrey, o que foi contrário de você aushauhas
    Acho válido várias opiniões e gostei da sua resenha, é sempre bom ver essa variedade de opiniões.
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Peguei um pequeno ranço da autora desde que li a série A garota do calendário dela que para mim foi sinceramente desnecessária e mesmo assim tentei me arriscar na leitura desse livro mas o primeiro pelo menos que acabei desistindo e abandonando logo na metade

    ResponderExcluir
  9. Não é meu estilo literário favorito, eu não sou muito fã de várias cenas hot, acho que elas são importantes para um romance mas não tanto assim.
    Mas a história dos personagens parece ser legal e bem diferente das que estamos acostumados.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Priscila!
    Não me interessei em ler a série A garota do calendário, mas tenho uma pequena curiosidade em ler a série Trinity, principalmente por causa desse quarto livro, Vida, amo mocinhos iguais ao Elijah, forte, mandão na medida certa, e decidido a conquistar a mocinha ❤
    Vou tentar me organizar para iniciar a leitura dessa série.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Olá! Confesso que ainda não comecei a leitura dessa série, pois li a Garota do calendário, e achei a série muito longa e um pouco cansativa, cheia de altos e baixos, mas pelas resenhas que eu tenho acompanhado a autora melhorou sua escrita em Trinity, e o fato de ter menos livros para contar a história dos casais já me animou mais, principalmente para conhecer o Elijah, mocinho desse livro.

    ResponderExcluir
  12. Bom, eu acho que ainda dá tempo de ela deletar A Garota do Calendário do Universo.... foi muito ruim aquilo.
    Fiquei um pouco confusa: Elijah é irmão do ex que abusou dela? E não entendi bem qual é a do Elijah. Quer atormentar a mulher pela morte do irmão, como uma vingança? Ou era a fim dela, mesmo enquanto ela estava com o irmão?

    ResponderExcluir
  13. Sinceramente eu n ão tenho muita curiosidade de ler essa série, pelo simples fato de ter lido comentários ruins sobre o primeiro livro e isso ficou na minha cabeça. Goste da resenha, e esse livro eu leria por ele não ser uma continuação, mas não gosto de ter livros de series separados na estante. Quem sabe eu deva tomar coragem e ler pra ter minha propria opinião sobre a serie.

    ResponderExcluir
  14. Não gosto muito de hot, e pensei que fosse mais nesse estilo, mas deu pra ver que é um livro forte e que traz um tema tão importante a ser discutido que é a violência contra as mulheres.
    Por mais doloroso que seja, precisamos ler mais sobre o assunto, e achei bem legal a Maria ser tão forte e determinada, provando que nunca é culpa da mulher e de sua personalidade, seja como for, que ela venha a passar por abusos.
    Vou querer ler sem falta!
    bjs

    ResponderExcluir
  15. Oi, Priscila!!
    Não li a série A garota do calendário e não fiquei empolgada para ler os livros da série Trinity, mas quem sabe no futuro.
    Bjos

    ResponderExcluir
  16. Comecei a ler a série da garota do calendario que também é escrito por essa autora e confesso que gostei do primeiro mesmo tendo algumas ressalvas e li o segundo livro que infelizmente detestei, comecei a ler o terceiro mas não estava com animo para continuar por isso estacionei a leitura dele, a escrita da autora até que é fluida mas a história não estava me prendendo e confesso que também não estou animada para continuar com a série e muito menos começar com esta nova da autora :/

    ResponderExcluir