O Oitavo Vilarejo - Gustavo Rosseb - As Aventuras de Tibor Lobato #01


Editora: Jangada
Páginas: 224
Classificação: 

Sinopse: Depois de perder os pais num terrível incêndio e passar dois anos num orfanato, Tibor Lobato e a irmã Sátir são encontrados pela avó e vão morar em seu sítio, onde fazem amizade com Rurique, bom conhecedor das lendas e histórias do lugar. Na época da quaresma, coisas muito estranhas acontecem na região. Seres fantásticos e assombrações passam a aterrorizar os habitantes dos Sete Vilarejos.Os amigos começam a correr perigo quando descobrem segredos sinistros que ligam a família dos irmãos a esses seres fantásticos e a um lendário Oitavo Vilarejo. A partir daí, inicia-se uma aventura cheia de magia, que os levará a reconhecer e valorizar virtudes como lealdade, coragem, esperança e amizade.

O Oitavo Vilarejo é o primeiro volume de As Aventuras de Tibor Lobato e foi meu primeiro contato com a escrita desse autor, confesso que me surpreendi bastante.

Tibor e sua irmã Sátir ficaram órfãos há dois anos e agora foram encontrados pela avó paterna, dona Gilde que mora em um sítio distante de outras cidades. Ao chegarem ao sítio da avó, Tibor e Sátir percebem que coisas estranhas acontecem por aquelas bandas, coisas sobrenaturais e inacreditáveis. Ao descobrir tudo que está acontecendo e o que ronda os habitantes dos Sete Vilarejos, as crianças terão de entrar em uma aventura que nunca imaginaram viver.

Com uma linguagem informal e descontraída, o autor conseguiu misturar em sua narrativa o folclore brasileiro com ficção, construindo assim uma história moderna e dando uma nova roupagem a personagens que fazem parte das lendas brasileiras.

Tibor é uma criança com ares de herói que não perde em nada para outros personagens do mesmo estilo de livro estrangeiro, ele é simples, valente e atormentado por sonhos com a morte dos pais. Sátir é uma personagem que eu acho que acabou não sendo tão bem aproveitada assim, ela realmente parece ficar mais de lado e eu espero que o autor dê alguma função primordial a ela nos próximos livros dessa série.

Os personagens secundários a eles, como dona Gilde e Rurique me remeteram a outros personagens como dona Benta e o Visconde de Sabugosa, são personagens clássicos do infanto-juvenil brasileiro, assim como figuras como o Saci Pererê, a Cuca, o Curupira, entre outros.

Eu gosto dessa capa, acho ela bem jovem e convidativa. Para a idade recomendada para esse livro, creio que a diagramação está maravilhosa, letras grandes com bom espaçamento. Enfim, recomendo demais para quem está procurando livros para os filhos, sobrinhos, etc. 

13 comentários:

  1. Quando li sobre quaresma ali já gostei!rs
    Moro no interior de Minas Gerais, onde tudo que é desta época do ano, traz aquela pontinha de medo. Por aqui, algumas tradições são mantidas até hoje e vão sendo sim, passadas de geração em geração.rs Até hoje, não varro a casa depois das seis da noite, nos dias de quaresma.rs(e há mais um monte de lendas)
    Por isso, já gostei muito de tudo que li acima e com certeza, o livro vai para a lista de desejados!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá! Dica anotadíssima, tenho certeza que meus sobrinhos irão adorar o livro, gosto muito que o enredo permita que eles possam conhecer mais sobre o folclore brasileiro.

    ResponderExcluir
  3. Oi Pri,
    Ah, adorei o sobrenome do personagem, remete muito a minha infância.
    Sem dúvidas é uma história bem brasileira, apesar do enredo ser parecido com outros infanto juvenis que já li, não deixa de ter sua essência.
    Que bom que te conquistou, espero que a série mantenha esse ritmo de aventura.
    Achei a capa um charme, e como fala um pouco do folclore brasileiro, combina bem.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi! Livros direcionados para o público infanto-juvenil não estão na minha lista de leituras, olha que eu gosto bastante, principalmente quando coloca um pouco de mistério e aventura como este.
    O folclore brasileiro é rico em história e lendas, mesmo e poucas vezes é aproveitado, gostei que esse livro represente isso.
    Gosto de mocinhos corajosos e me animei para ler.

    ResponderExcluir
  5. PRISCILA!
    Bom ver nossas lendas nacionais serem repaginadas e complementadas com ficção, eve ser uma leitura ótima, cheia de aventura.
    E o melhor de um autor nacional, não o conhecia ainda mais fique com uma curiosidade.
    “Felizes são aqueles que não se deixam levar pelos conselhos dos maus.” (Salmos)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA OUTUBRO - 5 GANHADORES – BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  6. Oi, Priscila
    Ler a sua resenha me lembra minha infância lendo os livros de Monteiro Lobato, assistindo o Sítio do Pica Pau Amarelo.
    A capa do livro é linda e parece que ela te convida para ler e viajar com ela.
    Fico muito feliz que o autor nos trás nosso folclore e que podemos manter para as próximas gerações.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Priscila!
    Adorei a resenha, eu tinha visto esse livro no Skoob, não tinha lido nd sobre ele ainda e gostei mto, parece ser bom, a capa é linda!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Priscila!!
    Gosto muito de livros de aventuras e achei bem interessante essa história do Tibor Lobato por que mistura folclore brasileiro com ficção, e também gostei muito da capa sem dúvida é um livro recheado de aventuras!!
    Bjos

    ResponderExcluir
  9. Parece ser uma leitura divertida, mas infelizmente não é meu forte. Tenho um pouco de dificuldade com a literatura nacional e a história em si não foi algo que chamou minha atenção.
    Com certeza eu daria esse livro para alguém que está tentando entrar no mundo das leituras e saber das referências incríveis me fez imaginar que pode fazer um jovem leitor a gostar de tudo isso!
    A resenha ficou ótima, mas infelizmente não é algo que leria :(

    ResponderExcluir
  10. O livro valoriza uma parte da cultura brasileira que anda muito esquecida Atualmente: o Folclore. Folclore é parte da nossa história, que temos a obrigação de passar para as gerações mais recentes.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Priscila!
    Por ser um livro infanto-juvenil O Oitavo Vilarejo não faz o meu estilo de leitura, e como meus sobrinhos são pequeninos acredito que eles não irão se interessar em conhecer as aventuras de Tibor e sua irmã Sátir... mas quem sabe futuramente?! Abraços!

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Nossa eu fiquei com uma vontade de ler o livro...e olha q. lendo a sinopse não me chamou muito a minha atenção...
    Mas pela sua resenha deu para perceber que tem muitas aventuras dentro do Folclore que anda meio esquecido no meio das crianças, achei super interessante!
    E que legal que vai para o Cinema...
    Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  13. Que fofo!
    Gosto muito de livros juvenis, e esse parece ótimo.
    Tem jeito de ser aventuresco e divertido, já que tem crianças, e por misturar o folclore brasuca com ficção deve ter ficado bem legal.
    bjs

    ResponderExcluir