Papillon (2018) | Crítica

Que filme é esse!!!

Para quem conhece realmente o cinema sabe que o nome Papillon não é algo novo, para os fãs de história também, já que esse é apenas um remake de um filme dos anos 70. Além disso, o filme é baseado na história real de Henri Charrière, que publicou sua autobiografia em 1969, Papillon e Banco, após todos os acontecimentos trágicos de sua vida. 

A obra conta, como já dito, a história real de Henri Charrière, interpretado pelo Charlie Hunnam (Sons of Arnachy e Pacific Rim), apelidado de Papillon (Papi). O protagonista já é de cara apresentado como um ladrão de cofres chantagista que está perdidamente apaixonado por uma dançarina de cabaré, nos anos 30. Após presenciar um grupo espancando até a morte um delator, ele é denunciado como o autor do crime e é condenado a prisão perpétua, injustamente. 


Na França daquela época, os prisioneiros condenados a prisão perpétua eram enviados a Guiana Francesas para serem presos em um penitenciária de alta segurança. Já no navio que trazia eles para a América do Sul, Papi conhece o falsificador Louis Dega, interpretado por um dos novos queridinhos de Hollywood, Rami Malek (Amanhecer Parte 2, Mr. Robot e Bohemian Rhapsody). Um acordo é feito já no primeiro encontro dos dois, Papi garantiria a segurança de Dega dentro da prisão, em contra partida Dega daria dinheiro suficiente para a fuga de Papi. 

Dentro da prisão algumas regras deveriam ser seguidas: 1) se tentar fugir, passará dois anos na solitária; 2) se tentar fugir novamente, passará cinco anos na solitária e logo é enviado a Ilha do Diabo. 

O filme conta com aproximadamente 2h e 30min e é possível ver toda essa história em mínimos detalhes. Mas como qualquer filme, tem seus pontos positivos e negativos (Mas não vou mentir, esse tem muito mais positivo que negativo). 

Vamos começar pelo negativo, já que é somente um. O ponto é justamente a duração do filme e o desenvolvimento da história. A impressão que passou é que eles começaram com uma obra belíssima, cheia de detalhes, contando ponto a ponto do drama, e nos últimos 30 minutos tiveram que cortar muita coisa para não ficar tão extenso e cansativo para o expectador. Basicamente, foi retratado três anos em duas horas de filme e os outros cinco anos em 30 minutos, o que deixou tudo muito apressado e sem detalhes de ambiente, sentimentos e explicações necessárias. 

Agora os pontos positivos. Começando pelos quesitos técnicos, ambientes belíssimos, muito bem construídos, fotografia excelente. Figurino e maquiagem então, nem se fala. Os efeitos especiais utilizados em determinado momento do filme não são dos melhores, mas convence bem. 

Mas a salva de palmas vai para a atuação dos protagonistas. Pessoalmente, a atuação do Remi Malek já tinha chamado minha atenção desde Amanhecer – Parte 2 (inclusive, ele era o meu personagem favorito, mesmo sendo um dos que menos aparece no filme) e logo em seguida na série Mr. Robot (que ele realmente dá um show de interpretação, dando a ele a indicação ao Globo de Ouro por Melhor Ator em série de Drama e ganhando o Emmy na mesma categoria). Charlie Hunnam é algo novo para mim e realmente foi uma surpresa. 

A química entre eles é tão grande que em certos momentos do filme parece rolar uma tensão sexual entre os dois, com trocas de olhares excessivamente expressivos, mão boba, dormir de conchinha e o apresso que um sente pelo outro. 

Papillon estreou ano passado no Festival de Cinema de Toronto, mas só chegou aos cinemas mundiais esse ano, tendo estreia somente em agosto no Estados Unidos e chega aos cinemas brasileiros no dia 4 de outubro, então, com certeza, vale a pena correr para assistir.


5 comentários:

  1. Se eu escrever que só fiquei sabendo deste filme hoje de manhã, você acredita??
    Acabei vendo o original tantas vezes, por amar Dustin e hoje ao ir em outro blog que acompanho, tinha uma crítica deste longa. Meus olhos brilharam!!!
    Adoro o original e mesmo com algumas falhas neste lance de correr no final(se bem que o original é grande toda vida), com toda a certeza do mundo, verei!!!
    Adorei também a escolha dos atores e pelo que li acima, eles deram conta direitinho do recado!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá! O filme parece ser bem intenso, gosto que ele seja baseado em uma história real, tanto que já fui pesquisar mais sobre a história do Papillon e descobri algumas coisas interessantes, muito bacana que ambos os atores deram conta dos seus papéis e conseguiram um ótimo desempenho.

    ResponderExcluir
  3. Olá Kevyn,
    Não sou nada conhecedora de história, rs, só tive conhecimento sobre o filme agora, e que filme eim... Gostei demais do trailer, da forma que ele foi montado, mesmo sem assistir, concordo com tudo o que disse, sobre as vestimentas, a fotografia, está tudo belíssimo, e sobre o elenco, sem dúvidas foi escolhido perfeitamente.
    Fiquei tão curiosa, que pesquisarei mais sobre os personagens principais.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi! Tenho que confessar que não conheço muito o mundo do cinema,não sabia do lançamento deste filme e nem tinha visto esta história que será retratada, mas conheço um dos atores, o que fará o papel de falsificador, pude acompanhar a Saga crepúsculo e ele também chamou a minha atenção.
    Essa prisão é bem rigorosa, hein! Uma fuga é bem arriscada, caso descoberto, estará encrencado. Entendo que o filme tenha sido corrido nos últimos minutos, mas não dar para não ter algumas umas falhas.
    Acho que o assistirei.

    ResponderExcluir
  5. Kevyn!
    Tive oportunidade de assistir a primera versão desse filme há muuuuuuuuuuuuuuitos anosa trás e depois consegui ler o livro que é ainda melhor.
    Bom terem trazido nessa nova versão, atores que tem uma química e passam verdade em suas atuações.
    Quero ver se assisto.
    “Felizes são aqueles que não se deixam levar pelos conselhos dos maus.” (Salmos)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA OUTUBRO - 5 GANHADORES – BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir