Dragon Ball Super: Broly (2019) | Crítica

"Oi, eu sou Goku"
A geração TV Manchete e TV Globinho tem motivo para comemorar. Quem nasceu entre a década de 80 e os anos 2000 teve o prazer de sentar na frente da televisão na hora do almoço para não perder nenhum episódio de Dragon Ball, Dragon Ball Z, Dragon Ball GT, e mais recentemente Dragon Ball Kai, Dragon Ball Super e Super Dragon Ball Heroes. Temos mais um filme da franquia Dragon Ball acabando de sair do forno direto para as telonas.



Dragon Ball é provavelmente uma das franquias de mídia japonesa mais lucrativas do mundo. Ela não se limita apenas a anime, mas também a mangás, filmes live action (vamos esquecer Dragon Ball Evolution que o melhor que a franquia faz). Ela teve inicio no ano de 1984, criada por Akira Toriyama em mangá, e segue até hoje sendo um sucesso de público, não é à toa que até hoje a série e filmes continuam sendo produzidos.

Dragon Ball Super: Broly é apenas o 20ª filme da franquia e de uma coisa os fãs podem ter certeza: ele não deixa nada a desejar. Neste, nós vemos a “criação” de Broly, todos os seus traumas, sua construção psicológica e seu primeiro combate com Goku, Vegeta e Freeza. Além da tão esperada fusão de Goku e Vegeta em Gogeta e sua transformação em Super Saiyajin Blue.


Na história, vemos desde a saída de Broly e seu pai do Planeta Vegeta, lar dos Saiyajins, após o pai de Vegeta, Rei Vegeta (eita, é muito Vegeta), descobrir que alguém que não era da classe de guerreiros nasceria com poderes maiores que os do seu filho. Assim, seguindo como Freeza destruiu o planeta dos Saiyajins e como ele, após encontrar Boyle anos depois de seu nascimento, o usou como arma para finalmente destruir Goku.


Não tinha como nada dar errado nesse filme. O criador da série original, Akira Toriyama, foi roteirista e supervisionou todo o processo de criação do filme. É exatamente como todos os outros animes e filmes da franquia. O respeito a toda a mitologia criada por trás de Dragon Ball é todo respeitado. E isso é lindo em algo que dura tanto tempo.

E por último, se você adorou passar 20 episódios de Dragon Ball Z vendo a luta de Goku vs Freeza, não pode ser esse filme, que conta com 1h40min e aproximadamente 1h de luta, entre Goku, Vegete, Gogeta, Freeza e Boyle.



O filme estreia hoje, 03 de janeiro, nos cinemas. Corra enquanto tem tempo. Vale mais do que apena o ingresso.


9 comentários:

  1. Aah, e com esse início de crítica você me fez sentir saudades do meu tempo de infância/adolescência e dos desenhos maravilhosos que assistia.
    Nunca assisti Dragon Ball... mas tenho certeza que uma galera vai amar.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi, Kevyn
    Assisti muito Dragon Ball, esse filme me dá uma nostalgia em lembrar da infância feliz que tive só assistir desenho, brincar, comer besteira, oh tempinho que não volta.
    Mas adorei o trailer e toda a trama do filme, quero conseguir ir assistir.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Com certeza assisti bastante DB e DBZ, os outros fui perdendo a vontade de assistir, mas sempre que lança um filme da franquia me interesso e assisto. Só de ouvir os nomes bate a saudade de uma época tão boa. Vi o trailer do filme no cinema e parece ser bem legal mesmo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kevyn, fui assistir!! Confesso que não achei um dos melhores, mas é legal. Achei a gritaria meio exagerada kkkkk

      Excluir
  4. Olá! Eita que bate uma saudade dessa época, esse filme já esta na minha agenda, já que meus sobrinhos também são fãs do desenho, tenho certeza que vamos adorar essa 1 hora de lutas.

    ResponderExcluir
  5. Kevyn!
    Até assistia há muito tempo atrás, porque gostava da visão futurista do desenho, mas hoje, nem sei se tenho mais pique para assistir, principalmente no cinema que só vai dar crianças e adolescentes...kkkkkkk
    Mas parece legal!
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. Nossa, lembro de ver muito do desenho quando criança e acho legal ate hoje ficar sai do umas coisas assim desse universo. Legal que não tenha ficado ruim também, é chato quando retomam alguma história e nao conseguem agradar. Mudem algo ou perca aquela essência que o público ama. Parece ter muito a explorar dos personagens e nao fica bobo também. Pra quem ama a série deve ser maravilhoso ver mais assim.

    ResponderExcluir
  7. Oi Kevyn,
    Caramba, viajei para minha infância agora kkk
    Assisti ao trailer e deu saudade, a voz do Goku, tão marcante...
    Eu deixei de acompanhar a um bom tempo Dragon Ball, não sabia que ainda faziam filmes da franquia, e achei muito bacana, não tenho dúvidas de que cada palavra da sua crítica é verdadeira, eles sempre acertam.
    Claro que quero ver!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Confesso que não sou fã de Dragon ball, nem na minha infância. Mas meu marido até hoje assiste aos desenhos animados. Com certeza ele vai assisti e eu terei de acompanhar.

    ResponderExcluir