Precisamos falar sobre: Sex Education



Se tem uma coisa que a Netflix não tem medo é de tentar. Temos sorte de ter uma plataforma de streaming mundial que não tem medo de mostrar o que deseja sem se preocupar com o falatório da instituição que mais tem valor no Brasil hoje: Família Tradicional Brasileira (ironia, a gente se vê por aqui). Sex Education, como o próprio nome já diz (Educação Sexual, em tradução livre) é uma série necessária, em um momento necessário.



Sex Education conta a história de Otis (Asa Butterfield), um jovem virgem com problema de masturbação vivendo o típico Ensino Médio americano, a diferença é que a história se passa no Reino Unido. Ele é o estereótipo do nerd “excluído”, que tem como melhor amigo Eric (Enuti Gatwa) , um garoto negro e gay que conhece os problemas sexuais do protagonista e tenta consola-lo por isso. Além disso, os pais de Otis são terapeutas sexuais e isso faz com que ele se retraia um pouco.


Após um vídeo instrucional da mãe de Otis passar em todo o colégio, ele é convidado por Maeve (Emma Mackey) a abrir uma clínica clandestina dentro da escola para ajudar os outros alunos com seus problemas sexuais.

Essa é basicamente a premissa da série, mas muita coisa acontece em meio a todas as necessidades dos jovens da escola, por isso, é uma série necessária para todos agora. Com o governo atual, a educação sexual foi simplesmente demonizada, pois a visão reduzida sobre pedagogia acredita que isso se resumira apenas a ensina crianças a fazer sexo.


Digo como professor de jovens e adolescente que a educação sexual já deveria ser ensinada para todos os níveis. Infelizmente, muitos confundem a palavra sexual com a erótico. Mesmo ensinando uma disciplina nada a ver com sexo, às vezes, um ou outro me param para perguntar algumas coisas que até eu fiquei constrangidos. Alguns exemplos do que já ouvi são: “Professor, se eu fizer b*****e em um menino, corro o risco de pegar alguma DST?”, “Professor, estou com uma menina de 12 anos e eu tenho 14, ela quer transar comigo, mas eu acho ela muito nova pra isso, como eu faço pra explicar isso pra ela?”, “Professor, eu gosto de meninas, mas fiquei com um menino, e não sei o que faço agora.”. Isso, sem contar as situações em que fiquei sabendo que alunas saem dos colégios por motivo de gravidez.


Além disso, as vezes ainda ouvimos os casos de crianças e adolescentes que são abusados sexualmente e que não tem noção do quão grave é o que aconteceu. Isso acaba levando-as a se culpabilizar, o que parece comum na nossa sociedade, tendo em vista que muitos veem a cultura do estupro como algo natural, transformando a vítima em culpado pelo que acontece.

Sex Education traz problemas sexuais que muitos de nós vivemos e/ou já ouviu falar. O primeiro que nos deparamos é um jovem, bem-dotado, que tem problemas com ereção e que não aceita o tamanho do seu pênis. Temos também uma garota é frustrada sexualmente pois não consegue um parceiro para perder a virgindade, um casal de lésbicas que não consegue transar, e um jovem que ainda está descobrindo sua sexualidade. A série aborda até sobre a beleza da vagina. 

Dild-o, introduza: Imagem censurada, o blog é Family-Friendly. Assista a série e veja.
Além disso, uma das cenas mais fortes que já vi em séries e filmes está aqui. Temos uma garota, menor de idade, abandonada pelo pai, uma mãe viciada em drogas, um irmão traficante, que vive sozinha em trailer e que se depara grávida de um cara considerado perfeito na escola, mesmo eles usando métodos anticoncepcionais. Ela resolve fazer aborto em uma clínica oficial, mostrando todo o processo, desde as perdas emocionais e o sofrimento passado pela gestante até os cuidados tomados no pós-procedimento. Nessas cenas, conhecemos uma personagem que só aparece naquele momento e nos faz pensar muito sobre a questão do abordo e como ela afeta psicologicamente a mulher, mesmo que ela tenha certeza do que está fazendo.

Repito mais um vez, essa série é necessária, em um momento necessário. Ela me respondeu sobre dúvidas que eu tinha desde a juventude e me fez ver meus alunos de um modo diferente, e pode ser que agora eu tenha mais certeza sobre o que responder quando perguntas sobre o assunto apareça.

Antes de encerrar, gostaria de dar destaque para as atuações. Asa Butterfield sempre foi considerado um bom ator, afinal, que criança consegue fazer o mundo inteiro chorar com sua atuação em O Menino do Pijama Listrado. Ele é um dos meus atores preferidos, passando por A Invenção de Hugo Cabret, Ender's Games, O Lar das Crianças Peculiares e Nanny MacPhee. Apesar de não conhecer Enuti Gatwa, foi uma surpresa, conseguindo levar a emoção que o personagem passa e os sofrimentos que ele traz, nas cenas mais pesadas, bate uma forte tristeza sobre a realidade.


A série já está disponível na Netflix. Curta a primeira temporada de Sex Education e não se assuste com as cenas de sexo no início de cada episódio. #NetflixPatrocinaNoiz !


9 comentários:

  1. Netflix é incrível, sinto uma admiração enorme ao vê-la se posicionando em vários assuntos - em um país onde a mídia/personalidades se escondem para não perder público, Netflix vai lá conscientiza.
    Tinha visto o nome da série, mas não sabia nada sobre.
    Deu vontade de retomar com a minha conta hoje mesmo só pra assistir.
    Acho patético esse medo de falar sobre as coisas; é um assunto necessário e que ajuda muitas crianças - sê conscientes.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi, Kevyn!!
    Acho importante a Netflix se arriscar a mostrar temas de importantes como por exemplo a educação sexual que deve ser mais discutida e ensinada nas escolas mais que por preconceito de muito isso não acontece. Mas ainda bem que temos uma plataforma mundial como a Netflix para colocar sal na ferida e fazer que muitos abram os olhos para esse tema tão importante para os nossos adolescentes. Enfim, prende muito em breve assistir essa série.
    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Todos os dias abro a Netflix e vejo esse trailer, mas como só inicio uma série após finalizar a que está em andamento, vou deixar ela como próxima da lista.
    Achei muito legal a forma que a Netflix usou e abusou de seu "poder" para passar mensagens tão importantes como essa. Gostei mais ainda!

    ResponderExcluir
  4. Ai caramba, o tanto de coisa legal que falou da série agora só me deu mais vontade de ver. Sempre achei muito doido quando via filmes ou séries com alunos la de fora e eles tendo aulas de educação sexual e a gente não ter isso aqui. Seria Ótimo, viu. Não é erotismo, é saber. Mas tem coitado que nao entende isso e acaba tirando oportunidades pra tantos jovens que precisariam ter esse ensino, poder tirar dúvidas, aprender sobre o corpo e todas essas coisas ne. Tanto poderia ser melhorado. Conhecimento é tudo.
    Gostei dos temas que a série aborda, de famílias quebradas, da orientação sexual e vida sexual e de tantos personagens diversificados. Tem muita coisa legal.

    ResponderExcluir
  5. Oi Kevyn,
    Fiquei imaginando se você iria assistir a série, acho que não me enganei, rs.
    Comecei a assistir basicamente para me divertir, e olha, que bela surpresa, primeiro que sim, as atuações estão maravilhosas, mais a trama toda é incrível, os assuntos abordados são necessários demais, não preciso nem falar como adorei a forma que falaram sobre o aborto, as pessoas ainda são muito fechadas sobre isso e não entendem como não é uma decisão fácil, e completamente abalável, foi tratado com delicadeza e eu gostei.
    Em um geral ela também diverte, e concordo totalmente com você, é NECESSÁRIA!!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi, Kevyn
    Ainda não conhecia a série, mas fico feliz que Netflix esta trazendo séries que abordem temas que se faz necessário nos dias atuais.
    Pelo trailer tenho certeza que ao mesmo tempo que é informativa também ter o lado que arranca gargalhada e choro.
    Anotei a dica e assim que terminar a série que estou vendo, vou assistir essa.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Kevyn!
    Nem conhecia a série...kkkkkk
    O novo presidente não quer que seja discutido nada disso nas escolas...
    Falar de sexo é sempre bom e se esclarece os adolescentes, melhor.
    Gostei!
    Vou ver se consigo assisitir.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  8. Olá! Muito bom que podemos contar com uma série que aborda assuntos essenciais para nossos jovens, também trabalho na área da educação e acredito que temos que aproveitar esse tipo de série para melhorar nossa comunicação com os alunos.

    ResponderExcluir
  9. Kevyn, gostei muito da sua crítica.
    Acho que é importantíssimo abordar esses temas, que são considerados tabus, mas que são tão importantes e normais para o ser humano.
    Vi muitos comentários positivos sobre a série nas redes sociais, mas ainda não tive tempo de assistir, assim que der, assistirei sem falta!
    bjs

    ResponderExcluir