A Ordem (2019) | Primeiras Impressões


Toda magia tem um preço.
Sabe aquela série sem quase nenhuma publicidade que a Netflix lança e por algum motivo ela se torna uma das mais vistas e comentadas no mês? Foi exatamente isso que aconteceu com A Ordem. Uma série sem muita expectativa que está criando uma legião de fãs, com seu universo de bruxos e lobisomens, acompanhados de vários clichês.

A Ordem foi lançada mês passado, dia 07, e assisti todos os episódios de uma vez no mesmo dia, mas por algum motivo divino, não lancei as primeiras impressões antes, mas nas primeiras semanas após o lançamento ficou como a série mais assistida entre os dias 11 e 17 de março, segundo o aplicativo TV Time (inclusive, recomendo o uso desse aplicativo para o controle das séries que você assiste, nele é possível ver quais episódios já foram lançados, quando serão lançados e sempre uma hora antes de algum episódio começar, ele manda um alerta, além de ser possível discutir com outras pessoas sobre as impressões dos episódios).

Aqui temos mais uma produção voltada para o público jovem-adulto envolvendo bruxos e lobisomens. Com uma premissa excessivamente clichê para o ramo, A Ordem consegue se sair até bem, com um roteiro totalmente esperado. Assim, acompanhamos a chegada de Jack Morton (Jake Manley) na faculdade, sendo bolsista, com intenção de entrar na Ordem da Flor Azul, uma sociedade secreta no qual o seu pai, que não sabe que é seu pai, faz parte com o intuito de se vingar da morte da mãe, que se suicidou por amor ao pai.

Para isso, ele vai contar com a ajuda de Alyssa Drake, uma jovem veterana da universidade que também faz parte dA Ordem. Após passar por todo o “processo seletivo” e conseguir se tornar um membro, ele terá de planejar toda a sua vingança, só que ele não contava com um fator: seu colega de dormitório é um lobisomem.


Segundo a mitologia empregada na história, os lobisomens seriam espíritos protetores que vivem em peles de lobos que escolhem pessoas para proteger a honra deles, e que surgem sempre que magia negra é utilizada. Eles são capazes não apenas se tornar lobos gigantes como em Crepúsculo, mas também sentir sempre que alguém utiliza magia.

Só que há uma reviravolta na história, seu amigo Randall (Adam DiMarco), o lobisomem, o transforma sem o consentimento de Jack, que passa a ser um híbrido de bruxo e lobisomem. Assim, Jack passa a ser um agente duplo dentro dA Ordem, com a missão de ajudar os amigos a combater “as trevas e as forças do mal”.


A série de um modo geral não é ruim, ela só clichê demais, mas sabe aquela série que é tão clichê que você ama e quer assistir mais e mais. O roteiro é tão pobre que sempre sabemos o que vai acontecer no momento seguinte, mesmo assim, queremos saber. 

Creio que o tema de bolsista entrando para uma universidade/escola, se apaixonado pelo/pela garoto/garoto mais legal do lugar, arriscando tudo para alcançar seus sonhos e desejos, já está mais do que batido. As séries infanto-juvenis fazem isso o tempo todo, está aí Rebelde, Violetta, Soy Luna, Kally’s Mashup e a nossa série da Netflix GO! (que vai sair um Primeiras Impressões semana que vem sobre).


O que A Ordem poderia trazer de diferente seriam os acontecimentos por trás, mas colocar duas “raças” opostas como rivais e por um protagonista para transitar entre essas duas é só mais do mesmo. Quem conhece teorias de roteiro como a Jornada do Herói, sabe o quanto isso é batido, e das duas uma, ou se segue perfeitamente a risca essa teoria, ou tenta mudar um pouco fugindo do padrão. O grande problema desse último é que é muito difícil um roteiro que não segue esse padrão, conseguir dar certo.

Os criadores tentam fugir desse ciclo do protagonista, mas acabam tendo que voltar para a narrativa padronizada, e isso é muito estranho, pois em determinados momentos as coisas simplesmente se resolvem, apenas para mudar o rumo da história, fazendo-a voltar para o que deveria ser.


Não vou nem falar dos caráteres técnicos, porque é outra decepção.

Apesar de tudo isso, como já falei, tem algo nessa série que me fez assistir todos os episódios de uma só vez. Talvez porque eu seja louco pelo gênero fantasia e tento consumir a todo momento, mesmo assim, muitas vezes já abandonei coisas apenas por não me agradar muito.

Como nem tudo é pode ser ruim, alguns pontos podem ser positivos. A primeira é que o trio protagonista funciona muito bem, eles possuem uma química incrível e fazem a série valer a pena, pois eles entregam tudo de modo tragicômico o que é preciso para o andamento da história.

Outra coisa, é o desenvolvimento do enredo. Apenas de não acontecer nada muito relevante para a conclusão da temporada nos primeiros episódios, A Ordem não segue o padrão Netflix de ter a introdução lenta, tudo bem mastigadinho e somente depois da metade começa a acontecer alguma coisa. Aqui tudo acontece MUITO rápido.

Já no primeiro episódios não temos muitas explicações, e só somos apresentados a elas com o decorrer da história, colocando muito mais ação em tela. Além disso, a quantidade de vezes que vemos magia acontecendo logo nos primeiros episódios é fantástico, apesar de não ser lá essas coisas o CGI, é muito legal ver como eles fazem cada ritual. É justamente isso que mais faz a série valer a pena.


A série já foi renovada para segunda temporada, e isso foi um alívio, pois muita coisa ficou para ser resolvida depois e preciso assistir o quanto antes. Essa é uma daquelas séries que eu odeio amar (só não mais que Shadowhunters, que está cada vez pior).

A primeira temporada já está completa na Netflix para você aproveitar tudo.

10 comentários:

  1. Eu vi coisa dessa série mas não deu vontade de assistir pelos clichês e a fantasia batida. Ah, sei la. Não chamou tanta atenção. Talvez seja boa pra ver quando não quiser algo muito exigente, tá bem tranquila de enredo pelo jeito. Um clichê. Essa é boa pra quando se quer um clichê. E deve ter algo de bom pra ja ter sido renovada, então fica a dica pra quem gosta de fantasia e e
    tal. Mas não sei se assisto mesmo. Pelo menos nao ainda.

    ResponderExcluir
  2. Kevyn!
    Bem, fiquei bem na dúvida entre assistir ou não.
    Gosto dos clichês nesse tipo de filme. Gosto de Bruxos e Lobisomens. Gosto de fantasia.
    Agora se é mais do mesmo, já não me interessou muito.
    De qualquer forma, deixei aqui anotado, porque numa hora de bobeira, quem sabe assistirei?
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  3. Esta é uma série que passei,li sobre o que iria encontrar e pulei.rs Não que não tenha até me interessado,mas não é meu foco no momento e como estou com minha fila daqui até o infinito e com milhares de séries e filmes atrasados, resolvi deixar para depois.
    Mesmo sendo um enredo batido, o mesmo trelele de sempre, gosto disso da juventude, da química entre os personagens e parece que o jogo de cores dos cenários também é bem agradável.
    Verei sim, só não sei quando rsrsrs
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi, Kevyn!
    Gosto de histórias com bruxos e lobisomens, mas não sou de assistir séries, contudo, minhas irmãs vivem assistindo, vou indicar A Ordem para elas, faz bem o estilo delas, elas curtem o gênero fantasia... Bjos!

    ResponderExcluir
  5. Oiee!
    Eu ja tô saturada do tema lobisomens, bruxos e afins. Tinha visto o lançamento dessa série mas não me interessei em saber mais, até porque não tinha, e contínuo não tendo, a intenção de ler, então nem me dei ao trabalho de saber nada. Deixo pra quem ainda tem paciência pra assistir algo do tipo.
    Bjokas!

    ResponderExcluir
  6. Oi Kevyn,
    Como sou muita fã de séries estou sempre atrás de alguma nova para assistir e as da Netflix são as que mais tem me chamado atenção. A Ordem, por ser do gênero fantasia me deixou bem interessada quando fiquei sabendo de sua existência. Diferente de você, não maratonei a série e tive sentimentos bem conflitantes a cada episódio. Os primeiros episódios foram os que mais gostei e mesmo tudo sendo tão previsível, o início da série instiga o telespectador. Para ser honesta achei que seria uma série voltada, somente, para o mundo bruxo e por mais que adore histórias com lobisomens não gostei da combinação entre as espécie em A Ordem. Outra coisa que me incomodou um pouco foram as personalidades dos personagens, pois achei a maioria deles muito chatos. Apesar disso, a série pode agradar muitos telespectadores, algo que ficou bem óbvio pela audiência atingida e o final dela me deixou um pouquinho curiosa para o que virá a seguir.

    ResponderExcluir
  7. Olá! São tantas séries para tão pouco tempo, que quando me deparo com uma que possui um enredo para lá de batido e que não entrega nada muito novo, fico até aliviada, afinal não vai entrar na minha pequena lista.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Kevyn!!
    Estou para conferir essa série A Ordem mas existe tanta série boa na Netflix que chega até ser difícil escolher só uma e assistir tudo que queremos!! Mesmos assim adorei a indicação!!
    Bjos

    ResponderExcluir
  9. Puxa, sou formiga na Netflix e não vi essa série nas divulgações, se vi não dei muito crédito. Mesmo que as coisas acontecem rapidamente, algo que não gosto muito, vou tentar assisti aos capítulos, por se tratar de lobisomens, acho que vou gostar bastante.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Kevyn
    Vi quando foi lançado a série, mas como estava terminando as que estava assistindo. Não quis começar a ver essa.
    Não sabia que se tratava de bruxos e lobisomens, claro que já vou correndo assistir.
    Beijos

    ResponderExcluir