Rocketman (2019) | Crítica (2019)


Elton John é simplesmente um dos maiores cantores da história. Seu jeito diferente de se apresentar, sua voz icônica e o modo como toca piano o fazem ser um artista incrível. Rocketman vem justamente para contar toda ascensão, queda e a volta por cima do astro britânico. Eu só tenho uma coisa a dizer: Rocketman é tudo o que Bohemian Raphsody não foi.

Rocketman vem nos mostrar desde o começo da infância de Elton John, quando ainda era um jovem pródigo da música, recém chamado pela Academia Real de Música e se chamava Reginald Dwight.


É aqui que descobrimos que Reginald sempre foi rejeitado pelo pai e não amado pela mãe, tendo como única figura de carinho a avó materna. E isso tudo se refletirá no comportamento do futuro cantor.

Além disso, vemos sua aproximação com Bernie Taupin, seu melhor amigo e letrista desde a juventude até os dias de hoje (segundo o filme, eles nunca discutiram). 


O filme também vai abordar os motivos que levaram John a se tornar um alcoólatra, viciado em drogas, sexo e compras. Inclusive, a primeira cena é justamente assim, Elton entra em uma sala totalmente vestido pronto para um show, vemos um grupo de apoio em círculo e ele senta e diz: Eu sou Elton John... alcoólatra, viciado em drogas, sexo e compras. E a partir desse ponto, ele conta toda sua história, sempre voltando para o grupo de apoio em determinados pontos do filme.

Sendo sincero, fui com um pé atrás assistir Rocketman, depois de Bohemian Raphsody que não foi lá essas coisas, tanto por não ter contribuído em nada para o cinema, aliviou a história de Freddie Mercury. Mas Rocketman é totalmente diferente. 

Primeiro que não transformou um cara gay em um homem que segue comportamentos heteronomativos. Segundo, que não aliviaram nas cenas de uso de drogas, bebidas e sexo. Eles realmente não pouparam a vida de Elton John, sem tentar fantasiar muito.


Outra coisa que chamou a atenção foi o fato do filme ser um musical. A trilha sonora é toda feita através de músicas do Elton John e usadas para expressar não somente os sentimentos do cantor como também de todos que estão ao seu redor. 

Com isso, gostaria de dizer que Taron Egerton (franquia Kingman) está incrível no papel de Elton John, e levando em consideração que foi ele que cantou as músicas para o filme, isso o torna mais incrível ainda, pois mostrou um grande potencial do ator. Além disso, as duas outras versões do cantor, a criança e a pré-adolescente, são excelentes atores e nós fazem emocionar. Infelizmente não consegui encontrar o nome dos dois.


Outra coisa fabulosa do filme é a poesia. Muito momentos não são levados ao pé da letra, ou seja, há algo poético por trás das cenas e das interpretações. Por exemplo, foi a cena de orgia mais poética que eu já vi, ultrapassando a de Sense8. Aqui Elton entra em uma festa, tira a camisa as pessoas que estão ao seu redor começam a se abraçar e caem no chão abraçado, Elton se joga no meio de tudo e somente as expressões de Taron são suficientes para entender aquele momento.

Outra coisa que não posso deixar de comentar é o figurino. Foi criado mais de 50 pares de sapatos e óculos para o filme, isso porque há cenas em que Elton aparece com várias roupas extravagantes diferentes. O melhor de tudo é que os créditos iniciais vai fazer justamente uma comparação entre as roupas usadas no filme com roupas usadas pelo cantor na vida real. Ainda colocam uma foto dele criança e uma imagem do ator que interpreta ele criança, e isso choca muito pois os dois são idênticos.

Estou até agora tentando encontrar um ponto negativo para o filme, as realmente, não consigo encontrar. Por isso, meu parabéns a toda a produção, e se Bohemian Raphsody conseguiu concorrer ao Oscar mesmo sendo tudo aquilo (só concordo com o Oscar do RamI Malek), Rocketman tem condições sim de concorrer e muito mais categorias e levá-las.


Rocketman estréia hoje nos cinemas de todo o Brasil. Não perca essa oportunidade de ver o crescimento, a queda e volta de Sir. Elton John.

5 comentários:

  1. O filme mais aguardado por mim depois de Bohemian!!Como fã do bom e velho rock mundial, Elton sempre esteve ali, na minha lista particular de melhores astros da música, seja pelas músicas mais agitadas( com a cara dele) ou as mais lentinhas e suspirantes.
    Elton foi e acredito que mesmo depois da redenção, ainda seja uma pessoa polêmica, mesmo que hoje em dia, viva mais discretamente.
    Respeito! Ele conseguiu isso a custa de muita dor e tristeza.
    Verei com toda a certeza do mundo!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá! É muito bom quando um filme retrata da melhor maneira possível, a vida do homenageado, acredito que é isso que os expectadores esperam não é mesmo, além disso, teremos a oportunidade de acompanhar várias de suas canções, já que o filme explora bem esse ponto.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Kevyn!
    Estou ansiosa para assistir esse filme pois dar para notar o capricho e a dedicação que foi para fazerem esse filme e acima de tudo não pouparam nenhum detalhe da vida do Elton John. Espero muito em breve ir no cinema e conferir esse filme.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi, Kevyn
    Nossa fico muito feliz que esse filme (musical) conseguiu trazer toda a essência desse cantor maravilhoso que é Elton John.
    Quero muito conseguir assistir, beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Kevyn!
    Uaaaau, que crítica maravilhosa!
    Menino, se eu já tava ansiosa para assistir, agora nem me fala!
    Gosto muito do Elton John também e preciso assistir logo.
    Que bom que ficou tão incrível o filme!
    bjs

    ResponderExcluir