Precisamos falar sobre: As Panteras (2019)



O filme As Panteras estreia hoje e eu já considero que foi um dos filmes feministas lançados mais divertidos do ano. Se você nunca ouviu falar desse trio, vem comigo que vamos conversar nesse post sobre empoderamento feminino em As Panteras.




A série As Panteras estreou nos anos 70 e fez um enorme sucesso nos Estados Unidos, três garotas lindas que eram espiãs, que sabiam lutar e detonavam com os bandidos. O que para a época parecia um ato de subversão, pois: "Mulheres espiãs, what?" e é isso mesmo, queridos adivinhem: mulheres podem ser o que quiserem. 

Acho que a grande maioria das pessoas já viu o clássico filme As Panteras estrelado pelas maravilhosas Drew Barrymore, Gwyneth Paltrow e Lucy Liu, o trio de garotas que inspirou gerações e até desenhos animados como o aclamado e maravilhoso As Três Espiãs Demais. O filme reavivou mais uma vez nossa liberdade de sermos o que quisermos, mesmo que dançando de calcinha em um quarto. O filme e a série ainda tem algumas coisas que me incomodam, como a objetificação da mulher e outros probleminhas, que ficarão para um outro post.


Depois de anos As Panteras estão de volta em uma nova sequência, dirigido, roteirizado e produzido pela atriz Elizabeth Banks. Temos um formato completamente diferente do que vimos na série e nos primeiros filmes. O tom trazido por essa nova produção, que conta com as estrelas Ella Ballinska, Kristen Stewart e Naomi Scott, não só nos mostra um trio de mulheres rompendo padrões como as sequências anteriores, mas um trio de mulheres completamente a vontade com sua sexualidade e poder.



Do começo ao fim temos praticamente apenas mulheres em cena. Os personagens masculinos, assumem três papéis: vilões, ajudantes ou figurantes. O que destaca completamente o protagonismo dessas mulheres, porém é que ao assistir As Panteras você vai entender que é possível construir uma narrativa onde mulheres não competem umas com as outras e que se ajudam mutuamente para chegar a um objetivo em comum.

A personagem de Ella Balinska, Jane, assume o papel da mulher forte que resolve tudo sozinha, a pressão de ser forte e seguir as regras que nos é tão conhecido, a famosa solidão da mulher forte. Surpreende, pois Jane é submetida a essa nova realidade onde terá que trabalhar com mulheres completamente diferentes. Sabina, personagem de Kristen Stewart, representa a ruptura do padrão vinda não tanto para a personagem quanto para a atriz, me parece que finalmente a atriz conseguiu fazer um papel para o grande público que a distanciasse de Bella Swan. Sabina é desbocada, bem humorada e tem os melhores times da trama. Já Elena, personagem de Naomi Scott, nos mostra que não importa o quanto uma mulher seja inteligente o mercado de trabalho ainda a tratará como inferior.

Um outro aspecto importantíssimo para a trama foi o espaço especial reservado para a visibilidade de mulheres trans, assunto ainda tão debatido dentro do feminismo. Dessa vez Elizabeth Banks saiu na frente, foi lá e fez o que muitas ainda discutem o que é apenas mais uma vantagem dessa nova leva de Panteras que nos foi apresentada. 

As Panteras estreia hoje com três atrizes que lutam contra os padrões impostos por Hollywood, dirigido por uma mulher que quer romper com as amarras que já as machucaram tantas vezes. As Panteras vieram para mostrar who run this world de uma vez por todas.

12 comentários:

  1. Olá! É ótimo quando filmes, séries e livros acompanham as mudanças tão necessárias em nossa sociedade, é importantíssimo refletirmos sobre o papel da mulher na sociedade hoje em dia, acho que quebrar esses estereótipos é fundamental, só um adendo, o filme de 2000 foi estrelado pela Cameron Diaz e não Gwyneth Paltrow, ambas talentosíssimas.

    ResponderExcluir
  2. Uau...
    Li a crítica no post anterior e os pontos destacados me ajudaram a não esperar tanto do filme.
    Mas é esse empoderamento e sororidade que me chamam atenção, essa parte será incrível de assistir.
    Gostei do elenco, dessa diversidade e achei legal ter uma pegada mais divertida.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Priscila!
    O bom de ser uma mulher madura com mais de 50 anos, é poder acompanhar as mudanças que aconteceram e ainda aontecem no universo feminino e fico totalmente extasiada com tudo que pude acompanhar nessas décadas de mudança.
    Ver que nesse filme as mulheres tem vez e voz, inclusive as trnas, é sensacional.
    E pelo jeito, tudo bem feito, sem excessos e sem sexualização, é assim que somos: mulheres empoderadas e inteligentes.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Mesmo não tendo tanto interesse assim no filme, é sempre muito bom saber que a história traz uma mensagem bacana, principalmente no quesito Girl Power! Além, é claro, da representação das várias mulheres existentes, e essa quebra no padrão estereotipizado, sem dúvida, mais mulheres conseguiram se identificar.

    ResponderExcluir
  5. O que muito vejo em filmes que trazem mulheres como protagonistas, principalmente de mulheres que lutam contra o crime, é a objetificação do corpo feminino, e pelo que vi no trailer do filme isso está longe de acontecer na trama.
    Mesmo o filme não estar recebendo muitos comentários positivos, daria sim uma chance ao filme.

    ResponderExcluir
  6. Oiii ❤ Um dos maiores motivos que tenho para assistir esse filme é que ele tem a ver com empoderamento feminino, que as protagonistas são mulheres, coisa que não vemos tanto em filmes de ação.
    Bom saber que esse filme não segue tanto o estilo da série e do filme, que não mostra as mulheres do jeito que as duas outras produções mostram.
    Adoro isso de mulheres não precisarem competir com outras, precisamos de mais sororidade.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  7. Eu amor aquele filme com a Drew e lembro que quando era criança adorava imitar essas três, essa força feminina, heroínas arrasando com tudo. A representatividade feminina é bem legal nessa trama. Gostei de ver um novo filme da franquia saindo por isso e queria muito assistir. Quebrar os padrões nunca fica velho!

    ResponderExcluir
  8. Olá! ♡ Acho muito importante filmes com mulheres protagonistas, precisamos de representatividade no cinema! ♡
    Fico muito feliz que o filme não sexualiza as mulheres, sexualização é algo que me incomoda muito nos filmes.
    Parabéns pela postagem, ficou ótima! ♡
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Priscila
    Nossa quero assistir o filme apenas para ver esse empoderamento e a união dessas mulheres.
    Gostei muito do filme de 2000 com m Drew Barrymore, Cameron Diaz e Lucy Liu.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi, Priscila!
    Ainda não fui assistir As Panteras mas quero muito principalmente por que gosto muito da história e também do elenco.
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Gosto muito disso que o filme traz, fazendo com que as mulheres seja o que elas querem até mesmo sendo espiã, já que isso e mais feito por homem. Gosto muito disso, estou bastante ansiosa para ver esse filme.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  12. Ainda não assisti mas adorei sua crítica e agora quero muito vê-lo!
    Pelo jeito as atrizes dão um show, arrasam tanto na interpretação quando o roteiro parece estar imperdível também!
    Assim que der, assistirei!
    bjs

    ResponderExcluir