Portões de Fogo - Steven Pressfield


Editora: Contexto
Páginas: 432

O rei Xerxes comanda dois milhões de homens do Império Persa para invadir e submeter a Grécia. Em uma ação suicida, uma pequena tropa de 300 temerários espartanos segue para o desfiladeiro das Termópilas para impedir o avanço inimigo. Eles conseguem conter, durante sete dias sangrentos, as tropas invasoras. No fim, com suas armas estraçalhadas, arruinadas na matança, lutam “com mãos vazias e dentes”. Relatados diretamente ao rei pelo único sobrevivente grego, os fatos são apresentados ao leitor de maneira vívida e envolvente. Mais do que somente com a batalha, o leitor entra em contato direto com o modo de vida desses antigos guerreiros, sua rotina, seus valores, sua coragem, seus ideais. A narrativa empolgante de Steven Pressfield recria, assim, a épica Batalha de Termópilas, unindo, com habilidade, História e ficção.


Portões de Fogo é um romance histórico, que retrata os conflitos da época em que os Persas desejaram obter domínio sobre a Grécia. O livro é narrado pelo escravo Xeones, o único sobrevivente da Batalha das Termópilas, onde os 300 espartanos disputaram contra dois milhões de persas. Por ter ficado a maior parte de sua vida nos bastidores da guerra, podemos conhecer melhor os espartanos que bravamente protagonizaram esse conflito. 

Ao longo do livro, Xeones nos apresenta sua trajetória. Após sobreviver a um ataque em sua aldeia e ter presenciado a morte de seus familiares, chegou à Esparta, onde foi escravizado e, por ser de outra polis, acabou como criado de uma família espartana. Entre suas recordações, ele nos mostra diversos detalhes sobre o modo de vida espartano. 

"Os deuses nos levam a amar a quem não amaríamos e retaliam a que nos afeiçoamos. Matam os que deviam viver e poupam os que merecem morrer. Dão com uma das mãos e tiram com a outra, prestando contas somente às suas leis, enigmáticos."

Diferentemente do que foi retratado no filme “300”, o livro explora muito mais do que a guerra. Ao invés de focar nos conflitos, o autor tenta mostrar todos os traços de personalidade e cultura daqueles homens e suas famílias, além dos eventos que antecederam a batalha.

"Tenham um bom café da manhã, homens, pois vamos todos jantar no inferno."

Por mais que o livro tenha menos batalhas do que imaginei, elas não deixam a desejar, é como se eu estivesse dentro de um filme, tamanha riqueza de detalhes! Mas não se enganem, não é uma leitura rápida, leva um tempo para pegar o ritmo, pois a narrativa de Xeones é cheia de detalhes e o leitor precisa estar atento e realmente usar a imaginação. Não é um livro para ser lido com pressa, é preciso apreciar a obra.

Publicado pelo selo Marco Polo, a Editora Contexto acertou em cheio na publicação desse livro. A edição está maravilhosa, com vários detalhes que todo fã de livros ama perceber durante a leitura. A ilustração da capa é linda e a diagramação não deixa nada a desejar.

Então, se você assistiu 300 e ficou querendo saber mais sobre aquela época, ou simplesmente é apaixonadx por livros desse tipo (como eu), vale muito a pena ler Portões de Fogo.


11 comentários:

  1. Gostei do livro por esse tom histórico dele. Curto ler umas coisas assim porque fica uma forma interessante de conhecer história, sem aquele tom chato que muitas vezes a gente não consegue absorver. É legal poder ver um pouco dessa cultura, dos tempos, aprender como era a vida e não só o lado da guerra. Também ajuda que tenha esse tom de filme nessas partes. Adoro quando não poupam detalhes. Se passar essa impressão mesmo ao ler deve ser bem interessante.
    Acho que seria um livro que iria arrastar um pouco pra ler, mas parece compensar de qualquer forma. Achei muito bom.

    ResponderExcluir
  2. Olá, fico surpreso por não haver muitas cenas de batalha na obra, dado o contexto. Mas como o livro aborda alguns aspectos históricos interessantes, fiquei curioso para ler. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Brunna!!
    Adorei a sua resenha e estou bem curiosa sobre essa história tão interessante que fala um pouco do Império Persa e as lutas travadas com os gregos!! Fiquei bem instigada para fazer essa leitura!!
    Beijosss

    ResponderExcluir
  4. Oi Brunna, tudo bem?
    Não assisti ao filme por ser tão sangrento e só ter luta, mas me interessaria pela leitura do livro. Acho bem legal romances históricos, só acho que o fato de ser um pouco lento me atrapalharia porque em geral perco a empolgação haha
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Acredita que peguei o marcador desse livro, esses dias na livraria, e fiquei bem curiosa em relação a história. Mas acabei esquecendo de verificar?
    Não fazia ideia que a obra retratasse tudo isso e acabei me surpreendendo ao ler por aqui.
    Gosto de romances históricos e esse me parece ter uma pegada bem bacana! Gostei de saber que ele aborda não só a guerra, mas mais coisas.
    Fiquei interessada e gostaria de ler a obra em breve!
    Beijos
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  6. Oi Brunna!
    Assisti 300 e amei o filme. Já tinha visto esse livro circulando, mas não imaginei que a história fosse essa. Gostei muito da abordagem e pela caracterização histórica na visão de um escravo. Legal que o autor optou por não abordar tantas batalhas.
    Adorei a indicação ;)
    Abc

    ResponderExcluir
  7. Brunna!
    Bom ver que o livro traz mais sobre a cultura dos espartanos e não apenas a guerra, acho importante conhecermos o momento histórico do povo e suas características, para podermos entender porque tudo aconteceu.
    “Educar é semear com sabedoria e colher com paciência.” (Augusto Cury)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Se eu olhasse a capa não imaginaria que era um romance. Gostei do fato de ser narrado por um personagem principalmente ele sendo escravo.

    ResponderExcluir
  9. Tem muito tempo que assisti ao filme 300, e naquela época confesso que não me amarrei muito a trama, mas como amadureci muito de lá para cá, talvez hoje eu curta sim uma trama mais voltada para esta época medieval, dos espartanos, algo diferente do que estamos acostumados, me cativei pela fato de não haver tantas lutas quando imaginava.

    Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi, li poucos romances históricos, e ainda estou dividida entre gostar ou não. Nunca assisti 300, mas sei muito sobre porque meu professor de história sempre falava e indicava o filme. Deve ser bem interessante e um pouco triste pela história do protagonista. Ótima resenha.

    ResponderExcluir
  11. Olá! Eu simplesmente amo esse tipo de livro, que nos mostra um pouco mais sobre a história do mundo. Ainda não tive a oportunidade de iniciar a leitura, mas sem dúvida ele está na minha listinha (risos).

    ResponderExcluir