Um Estudo em Charlotte - Brittany Cavallaro - Charlotte Holmes #1


 
Páginas: 384
Editora: Rocco Jovens Leitores
Classificação: 
Onde Comprar: https://amzn.to/2TPZl4j

No primeiro livro da série protagonizada pela jovem Charlotte, descobrimos que o talento para solucionar crimes corre no sangue da família Holmes. Com apenas 10 anos, a mais nova descendente do detetive ajudou a polícia a recuperar diamantes que valiam três milhões de libras. Agora, no ensino médio, a capacidade analítica da jovem é posta mais uma vez à prova quando um estudante da escola que ela frequenta nos Estados Unidos aparece morto sob circunstâncias intrigantes, aparentemente inspiradas em uma das histórias mais aterrorizantes de Sherlock Holmes. Os principais suspeitos do crime? Charlotte Holmes e Jamie Watson. Sim, esse mesmo, o tataraneto do fiel amigo do detetive inglês. O primeiro crime solucionado por Sherlock Holmes, icônico personagem de Sir Arthur Conan Doyle, foi apresentado aos leitores há mais de 130 anos. A personalidade ácida e a mente brilhante do mais famoso detetive da ficção, no entanto, permanecem atuais e inspiram séries, filmes e livros. Um Estudo em Charlotte é uma referência ao primeiro livro sobre Sherlock, Um Estudo em Vermelho, e traz uma série de referências às tramas do famoso detetive. Como Sherlock, Charlotte toca violino, é ótima em assumir diferentes disfarces, conduz experimentos forenses e tem uma fraqueza por opiáceos. Apesar de também ter herdado a audácia e petulância do tataravô, Charlotte tem seus próprios mistérios. Já Jamie sempre foi intrigado pela moça, mas, apesar do histórico familiar, os dois só se conhecem poucos dias antes do crime. Juntos, eles terão que provar que não são os culpados e, para isso, precisam agir como detetives.
Um Estudo em Charlotte, é o primeiro livro da série a ser publicado pela Editora Rocco aqui no Brasil. O livro nos traz a história de Jamie Watson e Charlotte Holmes, descendentes do nosso detetive preferido e seu fiel escudeiro. Já no título, a autora brinca com a história original, nos dando um pequeno spoiler sobre o que a trama se trata.


A história é ambientada na Escola Sherrinford, na qual Jamie passa a frequentar após ganhar uma bolsa de estudos devido às suas habilidades jogando rúgbi. Apesar de ficar insatisfeito por trocar a sua amada Londres por uma cidadezinha pequena dos EUA, o garoto se vê conformado em aceitar o seu destino, por mais que isso o leve para longe de sua mãe, e o aproxime do pai que havia abandonado sua família. É nesse lugar, cheio de novas possibilidades, que Jamie encontra Charlotte.

“Eu não sabia nada sobre ela, a não ser que a polícia tinha deixado que ela os auxiliasse em um caso quando Charlotte tinha apenas dez anos.”

De início, os dois não se dão muito bem. Não podemos dizer que foi amizade à primeira vista, porque não foi. Na verdade, Watson relutou muito em se aproximar de Holmes. E não somente para driblar o estereótipo que a dupla carregava, mas também por perceber que a mocinha o intrigava, que seu ar misterioso representava bem mais do que um disfarce, e que aquilo o estava deixando fascinado. O que os dois não esperavam, era que acabariam juntos de uma forma ou de outra, pois alguém já tinha planos muito bem guardados para os dois.

– Não me diga que você tá tentando armar pra me juntar com a minha...
– A sua alma gêmea?

Em um belo dia, Watson se mete em uma briga para defender Holmes que, para o seu desagrado, não gosta nada de ser tratada como uma donzela em apuros. E tudo isso poderia ter sido resolvido com uma simples conversa se a outra parte envolvida na briga não tivesse sido encontrada morta no dia seguinte. É assim que Jamie e Charlotte se veem mergulhados até o pescoço no mundo de seus ancestrais, pois todos os indícios apontam que a culpa é dos dois.

Aos poucos vão investigando e descobrindo segredos sobre o lugar que frequentam, assim como sobre a vida pessoal dos dois. Segredos estes que deveriam permanecer sendo secretos. E assim, mais tentativas de homicídio vão acontecendo na escola. Crimes que são réplicas ou reencenações das barbaridades descritas por John Watson nos livros de Arthur Conan Doyle. E, com esse paralelo, não teria como não compará-los a John e Sherlock.

É interessante como a relação dos dois vai se desenvolvendo ao longo do livro. Confesso que, como uma leitora apaixonada por romances, ao ler a sinopse desse livro, fiquei imaginando altas possibilidades de romance entre os dois. E pra falar a verdade, não senti falta disso em nenhum momento durante a leitura. A amizade que os dois desenvolvem é forte e bonita e, nem mesmo quando Holmes tenta manter o seu passado escondido de Watson, essa relação acaba, pois os laços que os envolvem naquele momento são muito mais do que amor, são totalmente baseados na confiança que depositam um no outro. E então quando percebemos que pode ocorrer algo mais entre os dois, é só um bônus para tudo aquilo que já havia sido desenvolvido.

“Estava encerrado. Acabado. E Charlotte Holmes e eu ainda estávamos bem. Eu me deixei sonhar que passaria o feriado de Natal com ela em Londres.”

Narrado em primeira pessoa por Jamie, podemos entender tudo o que se passa na mente do mocinho, todas as suas incertezas e hesitações em relação a tudo que está acontecendo ao seu redor. Todos os seus sentimentos estão ali, dispostos para o leitor se deliciar. É impressionante a riqueza de detalhes que a autora faz questão de descrever. Por vezes, enquanto não tinha muito tempo para ler, me pegava pensando que aquilo deixava a narrativa lenta e tediosa para o leitor. Mas, logo percebi que esse detalhamento nos dá uma visão mais abrangente sobre a cena e, quando imersos na história, torna tudo mais interessante e dinâmico.

Eu gosto muito de ressaltar o desenvolvimento dos personagens e suas relações nos livros que eu resenho, mas aqui temos ainda mais um ponto a comentar, o tal do crime a ser desvendado. A autora realmente se dedicou a trazer elementos importantes da história de Sherlock Holmes para a sua narrativa. As referências são impressionantes e trazem aquele aconchego ao leitor fã de Arthur Conan Doyle. Devo dizer que o mistério é muito bem desenvolvido e o coração fica acelerado até o último capítulo. E para acabar temos um epílogo maravilhoso, para fechar o livro com chave de ouro!

“Uma nota final sobre Watson. Ele se flagela com bastante frequência, como esta narrativa demonstra. Não deveria. Ele é amável e caloroso e bem corajoso e um tanto descuidado da própria segurança, e, por qualquer métrica, é o melhor homem que eu já conheci.”

Leiam, e me falem o que acharam aqui nos comentários! Até a próxima!


10 comentários:

  1. Olá! Se ainda tinha alguma dúvida que eu leria esse livro, o final da sua resenha, mais precisamente essas duas palavrinhas “epílogo maravilhoso” acabaram com todas! Sempre é muito bom poder conferir novas versões de nossos personagens preferidos, e o livro parece ser daqueles que te prendem do início ao final, com uma leitura dinâmica e fluída. Acredito que é uma boa opção de presente de Páscoa, para pessoas que, como eu, não comem chocolate.

    ResponderExcluir
  2. Bem louco isso de brincar com as histórias desses personagens tão famosos. Sou doida nessa dupla e claro que chama atenção. Um menino e uma menina descendentes deles e o tom mais jovem fica bem legal, foi uma ideia interessante. A relação dos dois parece ter bastante conflitos e obstáculos, ser difícil, mas achei legal como os dois se aproximam e isso dos crimes parecidos com aqueles outros é outra jogada curiosa na história. Deu vontade de conhecer.

    ResponderExcluir
  3. Como fã assumida de Sherlock e Watson,quando li a primeira resenha deste livro, já o coloquei na lista de desejados.
    Parece que os "herdeiros" cumprem muito bem o papel dos grandes detetives, mantendo a astúcia, bom humor e o ponto principal, a amizade entre eles.
    Adorei saber que não há o romance, mas sim a amizade. Sei lá, acho que isso sim é manter o original!!!
    Com certeza, lerei!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. A capa é linda <3
    Adorei a resenha e ja coloquei na minha lista de desejados, vou adorar acompanhar o desenvolvimento do relacionamento deles.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Brunna
    Que capa maravilhosa!
    Descendentes de Holmes e Watson se envolvendo em investigações essa leitura deve ser uma aventura incrível.
    Uma versão feminina de Holmes parece bem interessante e com os dilemas que só as mulheres entendem. Gostei de saber que a relação dos personagens passa por várias fases como: antipatia, amizade sincera, companheirismo, trabalhando como investigadores e claro o amor.
    Estou bem curiosa para conhecer esse livro, beijos!

    ResponderExcluir
  6. Brunna!
    Desde que me entendo por gente e passei a gostar de investigações através dos livros, Sherlock é um dos meus favoritos, mesmo com todos seus defeitos e arrogância; não gostava da forma como ele tratava Watson, mas quando descobri o porque, passei a admirá-lo ainda mais.
    Ver um livro que traz uma versão feminina e adolescente de Holmes e ainda mais aprimorada, porque a sensibilidade feminina está presente, assim como o romance com Watson, aguça minha curiosidade em poder ler essa versão.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Oi, Brunna!
    Assim como você também sou uma leitora apaixonada por romances, leio vários gêneros literarios mas na história tem que ter romance sempre, por isso não curto muito livros onde o romance não é o foco na história, sem falar que não gosto de narraticas cheias de detalhes igual a de Um Estudo em Charlotte... Então acredito que esse livro não é pra mim. Bjos!

    ResponderExcluir
  8. Adoro livros de investigações, essa história não chamou muito a minha atenção, mas nada que impeça de ler o livro. Mesmo sendo mais para adolescentes,se eu tiver a oportunidade vou ler sim.

    ResponderExcluir
  9. Oi Brunna,
    Nunca li nenhuma história do Sherlock Holmes, mas adorei a ideia de trazer o detetive em uma versão feminina, mesmo essa não sendo uma versão do personagem original e sim uma descendente. Pelo que percebi todos os elementos que caracterizam tão fortemente Sherlock estão presentes na trama e essa essência é bem importante para que se possa passar ao leitor a mesma ideia da obra original. Também gosto de um romance, mas prefiro que o livro foque na amizade mesmo, afinal de contas essa sempre foi a base de Holmes e Watson e o contrário disso acho que desfocaria muito o objetivo final. Um Estudo em Charlotte é uma história que eu não esperava ver sendo publicada, mas fico feliz que isso aconteceu e bem curiosa para ler.

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Amo livros de investigação, e Sherlock é um ícone né?!
    Trazer uma "versão dele" de um jeito diferente me agradou bastante, além do fato do mistério ter sido tão bem tramado a ponto de coração acelerar é ótimo, porque a gente fica com aquele comichão pra desvendar junto com os personagens.
    Não conhecia o livro, mas ele já está na minha lista de desejados.
    bjs!

    ResponderExcluir