The Most Beautiful Girl in Cuba - Chanel Cleeton

 

Editora: Berkley

Páginas: 383

Classificação: 


Sinopse: Quando Grace Harrington conseguiu um emprego no jornal Hearst em 1896, ela foi pega em um mundo cruel, onde um furo pode fazer ou destruir sua carreira, mas há uma história emergindo de Cuba que muda sua vida. Presa injustamente em uma famosa prisão feminina em Havana, Evangelina Cisneros, de 18 anos, sonha com uma Cuba livre da opressão espanhola. Quando Hearst fica sabendo de sua situação e expõe sua imagem na primeira página de seu jornal, proclamando-a, "A garota mais bonita de Cuba", ela se torna um grito de guerra pela intervenção americana na batalha pela independência cubana.  Com a ajuda de Marina Perez, uma mensageira que trabalha secretamente para os revolucionários cubanos em Havana, a equipe de Grace e Hearst tenta libertar Evangelina. Mas quando civis cubanos são forçados a campos de concentração e a explosão do USS Maine impele os Estados Unidos e a Espanha à guerra, as três mulheres devem arriscar tudo em sua luta pela liberdade.

Quando eu vi esse lançamento logo corri para solicitar e eu quero agradecer aqui a Penguin Random House pelo Arc enviado em troca de uma resenha honesta.


 Grace tem um desejo: se tornar repórter e trabalhar para mudar vidas. E é assim que ela entra no escritório de um dos mais famosos donos de jornal da época. Estamos falando da Nova York de 1896. Contratada para espionar o concorrente, é assim que Grace começa a trabalhar no Journal. Evangelina vive com o pai e a irmã em uma colônia prisional, até que um general espanhol quer tomar ela como amante. E como ela rejeita seus avanços sistematicamente, é presa e enviada para La Casa de Recogitas, uma prisão para mulheres envolvidas com os rebeldes cubanos. Marina casou com Mateo contra a vontade dos pais, depois de algum tempo ele foi embora lutar com os rebeldes e agora Marina, sua filha Isabella e a sogra Luz estão sendo levadas para um campo de refugiados ao redor de Havana. A vida dessas três mulheres vai mudar e se cruzar por conta da guerra que deu início a independência de Cuba. 


Esse é meu segundo contato com a escrita da Chanel Cleeton, já tinha lido seu último lançamento The Last Train from Key West e fiquei encantada em como ela consegue escrever romances históricos que prendem e apaixonam. Não poderia ser diferente ao falarmos de The Most Beautiful Girl in Cuba, a autora conseguiu nos transportar para uma Cuba que gritava por liberdade.


Grace é uma mulher que não quer abrir mão de sua independência e é por isso que ela rejeita todo tipo de contato com a nata da sociedade a que pertencem sua mãe e padrasto. Depois de começar a trabalhar como repórter ela tem acesso a histórias de mulheres em Cuba e em como elas estão sendo tratadas. Também temos Rafael, um magnata cubano-americano que está despertando em Grace sentimentos que ela nunca pensou ter.


Evangeline sempre foi movida pelo seu amor pela família. Ela se sacrificou pelo pai e quando é acusada injustamente e enviada para a prisão as coisas começam a piorar rapidamente. É quando repórteres de um jornal americano se interessam por sua história e Evangeline se torna o rosto que leva a América a pensar mais sobre o conflito que acontece em Cuba.


Marina, por sua vez, ama a família e Cuba e é por isso que ela apoia o marido a se juntar aos rebeldes. Meses depois ela não sabe onde ele está e se vê em condições sub-humanas em um campo de concentração. E é aí que ela começa a lutar com as armas que possui, fazendo parte de uma rede de espionagem entre os cubanos.


Esse é um livro que nos faz pensar muito sobre mulheres que viveram em conflitos nos séculos passados cujos nomes foram apagados da história.


Esse livro ainda não foi publicado no Brasil, mas se você lê em inglês merece muito a leitura.

Para fazer download de uma degustação do livro clique aqui.



0 comentários:

Deixe seu comentário