Salem - Stephen King

 

Editora: Suma

Páginas: 464

Sinopse: Ambientado na cidadezinha de Jerusalem's Lot, na Nova Inglaterra, o romance conta a história de três forasteiros: Ben Mears, um escritor que viveu alguns anos na cidade quando criança e está disposto a acertar contas com o próprio passado; Mark Petrie, um menino obcecado por monstros e filmes de terror; e o Senhor Barlow, uma figura misteriosa que decide abrir uma loja na cidade. Após a chegada desses forasteiros, fatos inexplicáveis vêm perturbar a rotina provinciana de Jerusalem's Lot: uma criança é encontrada morta; habitantes começam a desaparecer sem deixar vestígios ou sucumbem a uma estranha doença. A morte passa a envolver a pequena cidade com seu toque maléfico e Ben e Mark são obrigados a escolher o único caminho que resta aos sobreviventes da praga: fugir. Mas isso não será tão simples, os destinos de Ben, Mark, Barlow e Jerusalem's Lot estão agora para sempre interligados. E é chegada a hora do inevitável acerto de contas.


Estou tentando mais uma vez com o King, não eu ainda não desisti.


Jerusalem's Lot recebeu três forasteiros: Mark, um garoto que curte filmes de terror, Ben, um homem que morou quando criança na cidade e o senhor Barlow, um homem misterioso que vai abrir uma loja na pequena cidade. E é aí que coisas estranhas começam a acontecer: uma criança morre e pessoas simplesmente começam a desaparecer ou simplesmente caem doentes. Ben, Mark e Barlow parecem estar interligados a esses eventos ou eles conseguirão escapar?


Eu já li alguns livros do King, então já estou acostumada com sua narrativa de apresentação que pode parecer mais lenta no início, mas é necessária para que a ambientação da história possa acontecer. Com uma narrativa em terceira pessoa, poderemos acompanhar os acontecimentos com mais precisão e digamos que menos emoção, de certa forma. 


King conseguiu construir uma narrativa que vai te tocar, principalmente se você se apegar a Ben. Para além disso é necessário dizer que os personagens secundários também são sensacionais e um deles ganhou sua própria saga na série A Torre Negra. 


Fora isso, dessa vez, apesar de ainda não ter "chegado lá" com as histórias do King esse foi um dos livros que eu mais gostei do autor. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

INDICAÇÃO DE FILME

INDICAÇÃO DE FILME
Priscila, linguista de formação, doutoranda em Narratologia. Começou a ler um livro do Sidney Sheldon aos oito anos e nunca mais parou. Hoje, fez das Letras sua profissão.

Colaboradores

Caixa de Busca

Facebook

Instagram

Destaque

CRÍTICA | Jogos Vorazes: A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes

  Eu não sabia que Jogos Vorazes tinha ainda tanto a oferecer antes de assistir a esse filme. Confesso que não li o livro homônimo que funci...


Arquivos

Posts Populares

Receba as novidades!

Tecnologia do Blogger.

Parceiros